Favoritos

lovefoxxx fala de cat power

por   /  17/04/2008  /  23:52

lovefoxxx, amiga, você me entende. é isso mesmo. chan é a melhor artista de todos os tempos (ok, minha lista é um pouco maior) e “metal heart” é uma música que deve ser ouvida ad infinitum.

quem quiser ler, clica aqui!

presente de juliana f.

l´amour

por   /  17/04/2008  /  15:21

Todo amor corrigiria uma grande decepção amorosa, forçada e originária, todo amor seria um paliativo contra as dores da renúncia a nossas paixões edipianas. Ou seja, atrás de nossa vida amorosa, sempre há um dano inicial. “Será que alguém paga um dia?”, diriam as mulheres evocadas na conversa com Pommier.

Mas talvez haja algo mais, algo que nos torna feridos antes da batalha, queixosos de ter sofrido um dano antes de qualquer amor, inclusive antes daquela primeira relação, miticamente feliz, com a mãe. Talvez a sensação de que fomos traídos, e não nos foi dado o que queríamos e esperávamos anteceda o amor e suas frustrações. Talvez todos os amores, inclusive o edipiano, sejam apenas compensações frustrantes por um dano que, aliás, inevitavelmente, eles renovam.

ai, ai, contardo

amor  ·  analyze this

25

por   /  16/04/2008  /  19:05

please, abasteçam meu armário de chronos ou qualquer anti-rugas genérico… o tal “um quarto de século” é pesado demais! haha mas fazer aniversário é tão bom, né? só alegria! via sms, e-mail, twitter e telefonemas lindos das pessoas mais queridas!

Sem categoria

paquita la del barrio

por   /  15/04/2008  /  3:19

essa é paquita la del barrio, uma mistura de walter mercado com eliana de lima. cantora roots do méxico, que eu conheci enquanto passeava por uma região do centro de lá parecida com a 25 de março _e viva a globalização! até os cacarecos são iguais; é perfume falsiê, carrinho, jogo e dvd piratas…

mas, então. paguei 96 pesos por um cd triplo de paquita _felitti me condenou, disse que dava pra compar um cd do morphine, “coisa bem melhor”, por bem menos.

agora, finalmente desempacotando as malas e olhando pra todos os cacarecos que acumulei em poucos dias, comecei a ouvir paquita. como um reginaldo rossi de saias, ela canta sobre a única coisa que a gente quer ouvir quando aperta o play: o amor. a chegada, a partida, o meio tempo, a confusão, a dor, o sofrer, a raiva, o alívio, o nojo, a saudade, a nostalgia _ainda num ouvi tudo, mas ela deve ter uma canção para o domingo, ah, deve!

com voz de cantora de rádio de antigamente, paquita, ou frannie from the neighborhood, é amarga. a cada tremidinha da sua voz dá pra sentir o quanto ela sofreu. e chorou. e sofreu.

e parece que a gordita ainda é desbocada. dizem que sua frase de guerra é “me estás oyendo, inútil?”. é diva ou não é?

agora, uns trechos de música. pra começar,”te parto el alma”:

te acuerdas cuando eramos felices
que nada en éste mundo nos podía separar
te acuerdas que nos quisimos tanto
que cada beso nuestro al cielo iba a parar

más tarde no sé porque te fuiste
después por todo el mundo felíz ibas pasando
no! ya no me quiero acordar
si hasta el beso que es de diós
me sabe a amargo

lograste hundirme hasta el final
ya estoy hasta onde ya
ya no se puede.
jugué mi vida y la perdí
maldito sea tu amor que aún me hiere

y ahora te atreves a pedirme
que pase el trago amargo de mirarnos la caras
no! no se te ocurra volver
porque si te vuelvo a ver
te parto el alma

em seguida, “amor perdido”:

amor perdido, si como dicen es cierto que vives dichoso sin mi
vive dichoso, quizas sus besos te den la ternura que yo no te di

hoy me convenzo, que por tu parte nunca fuiste mio, ni yo para ti
ni tu para mi.. ni yo para ti

todo fue un juego, nomas que en la apuesta yo puse y perdi
fue un juego y yo perdi, esa es mi suerte
y pago porque soy buen jugador

o mundo animal de “que me perdone tu perro”:

como un perro me seguías
como un perro me cazaste
fui tu presa, ya lo ves
a mi puerta te arrastrabas
me ladrabas y me aullabas
para lograr mi querer

cuando al fin mi amor tuviste
y la presa te comiste
fuiste un hombre ruin y cruel
fuiste perro traicionero
pues mordiste aquella mano
que te daba de comer

perdón…
perdóname querido amigo
que me perdone tu perro
por compararlo contigo

e o dedo na ferida, com “fallaste corazón”:

y tú que te creías el rey de todo el mundo
y tú que nunca fuiste capáz de perdonar
y cruél y despiadado, de todo te reías
hoy imploras cariño aunque sea por piedad

a dónde está tu orgullo, a dónde está el coraje?
porque hoy que estás vencido mendigas caridad
ya vés que no es lo mismo amar que ser amado
hoy que estás acabado que lástima me das.

maldito corazón, me alegro que ahora sufras
que llores y te humilles ánte ése gran amor

pra terminar, um clipe de “piérdeme el respeto”:

amor  ·  música  ·  viva méxico!

os sentimentos reais

por   /  14/04/2008  /  3:00

demorou até agarrar-se firmemente ao óbvio: miúdo fora arrasado pela morte da mãe e, como somente o tempo e talvez um pouco de ternura podiam curá-lo, decidiu simplesmente continuar sendo quem era e levar sua vida; se o garoto quisesse acompanhá-lo, muito bem, era benvindo, se não… bem, jake estava acostumado a pescar sozinho. leva tempo até que os sentimentos reais ganhem a confiança que os conserva consistentes, e jake calculava que um imortal como ele, mais do que nada, tinha tempo de sobra.

jim dodge, de novo, em “fup”, de novo

Sem categoria