Favoritos

lendo a internet

por   /  15/03/2010  /  9:09

João Wainer fotografa a superlotação nas carceiragens da delegacias da região metropolitana de Vitória, Espírito Santo. Sílvia Freire escreve sobre o assunto na Folha de ontem (para assinantes): O primeiro impacto é o cheiro forte, azedo e repugnante -uma mistura de suor, roupa suja e excrementos. Ouve-se um grito: “Tem um preso cuspindo sangue aqui!”. Depois, a onda de calor que vem da cela. A visão de detentos amontoados em carceragens superlotadas completa o quadro visto pela reportagem em seis delegacias da região da Grande Vitória, na semana passada.

– Adriano, o Imperador, fala sobre as noitadas com colegas na favela da Chatuba e a briga com sua noiva, Joanna Machado, no “Fantástico”

– As noites de arromba na corte imperial, n’O Dia

– Ela faz dupla de ataque com Adriano – Quem é a namorada e personal trainer que bateu, levou – e reatou com o Imperador, na “Época”

E mais:

E por ai segue a narração, tintim por tintim, de tudo que se passa na vida da tal criatura. Só não comunica das suas humaníssimas ventosidades intestinais e traques do gênero. O resto vale na miudeza e no varejão ceasa do cotidiano. Eis o espírito da mais nova modinha da Internet, meu jovem, o tal do twitter, que você, novidadeiro por excelência, já deve ter enfadado de ouvir falar.

Xico Sá escreve sobre o Twitter: Não me siga, eu não sou novela

– Trailer do filme “Suscessful Alcoholics, de Jordan Vogt-Roberts (via Felipe Lins)

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Ei, você, que chegou agora no novo Don’t Touch! Não esqueça de assinar o novo feed, em http://feeds.feedburner.com/donttouchmymoleskine/GshX, para receber as novidades postadas no blog   =)

etc

mixtape #24: tatiana almeida

por   /  14/03/2010  /  18:40

Tita é a potência do brega, sabe tudo que toca nas carrocinhas de Recife. E, assim, como eu, gosta de verdade dessas histórias de amor, obsessão, traição e muita sensualidade que são a cara da nossa querida cidade.

“Como minha relação com o brega de Recife superou a ironia e é paixão de verdade há um bom tempo, escolhi as músicas que mais gosto, não me preocupando muito em fazer panorama de estilo. Acabo preferindo as mais românticas mesmo”, diz ela.

As fotos que ela sugeriu para ilustrar a seleção fazem parte da série “Brasília Teimosa”, de Bárbara Wagner.

Vejam o ensaio em http://www.flickr.com/photos/barbarawagner/sets/72157608390006874/

A mixtape, intitulada “Fazer Amor Um Dia Com Você Vai Ser Show”, tem Nega do Babado, Kitara, Kelvis Duran, Mysstura do Calypso, Vício Louco, Tsunami, Juventude do Amor e muito mais. Uma delícia pra ouvir no repeat!

Baixem a mixtape #24 aqui

Para conhecer o trabalho de Tita, vejam o clipe de “Doce e Salgado”, do Profiterolis; o trailer de “Avenida Brasília Formosa”, de Gabriel Mascaro, que ela fez a montagem;  e o trailer de “Balsa”, de Marcelo Pedroso, que ela assina como co-montadora.

por um dia a dia menos preguiçoso

por   /  12/03/2010  /  1:18

Adoro projetos simples que tiram a monotonia do cotidiano e colocam em seu lugar uma idéia boa que logo nos deixa com um sorriso no rosto. O Recovering Lazyholic é assim. Foi criado por Erin, que resolveu combater a preguiça fazendo fotografias e “coisas” que ajudam a gente a lembrar do que é simples e bonito no mundo.

Pra hoje, escolhi a série Reminders, que a gente bem pode sair colocando pelas nossas casas. Certeza de que cada pedacinho do home sweet home vai ficar bem mais poético   =)

Vejam tudo: http://recoveringlazyholic.com/reminders_1.html

arte  ·  fotografia

lendo a internet

por   /  12/03/2010  /  0:46

– Lulina está em turnê pelos Estados Unidos. É muito orgulho que eu tenho dessa amiga! O cartaz é mais uma criação linda de Dani Hasse. Saibam mais na Lulilândia

É, gente, não tá fácil pra ninguém… (via @frufru)

Eles são lindos, higiênicos e falam como se estivessem sempre com um Halls Preto na boca. Ela é a mocinha desprotegida que eles querem. No primeiro trailer de Eclipse – sim, porque haverá um segundo e, quem sabe, um terceiro -, Edward (Robert Pattinson), Jacob (Taylor Lautner) e Bella (Kristen Stewart) deixam claro que, como diria o filósofo Schopenhauer, toda história que move a humanidade é sempre uma história de amor.

Carol Almeida escreve o melhor texto sobre “Crepúsculo” que você já leu nessa vida: Trailer de “Eclipse” prova que em time vencedor não se mexe

E mais:

Isso não é amor. Amor é outra coisa…, um dos memes mais divertidos do Twitter. Querem uns exemplos? “O amor não te faz pular de alegria e esquecer os problemas. O nome disso é carnaval. O amor é outra coisa.”; “O amor não é compartilhar absolutamente tudo com o outro. O nome disso é comunismo. O amor é outra coisa.”; “O amor não te deixa com falta de ar e um aperto no peito. O nome disso é asma. O amor é outra coisa.”

– DJ Cremoso, a sensação do momento, faz sua versão para “Poker Face”

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Ei, você, que chegou agora no novo Don’t Touch! Não esqueça de assinar o novo feed, em http://feeds.feedburner.com/donttouchmymoleskine/GshX, para receber as novidades postadas no blog   =)

etc

lendo a internet

por   /  10/03/2010  /  11:54

Ela [Maria Bethânia] é, então, uma “desassossegada”? “Eu acho que desassossego para um artista é interessante. Precisa ter. Uma pessoa muito calma, sossegada, não tem estímulo, um empurrão”, diz Bethânia à Folha. E completa: “Eu gosto de ser o tempo inteiro perturbada, incomodada. Isso é interessante”.

Malu e os demais convidados deviam sortear uma frase do poema “Tabacaria” para gravar em vídeo, que será editado como documentário. Ela mostra a frase: “Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer”. “Pesada, pesadíssima”, diz. “É coisa de ator, de gente que fica interpretando vários papéis. Mudo de ideia a respeito das coisas. Volta e meia, fico inteira num sentimento e, logo depois, fico inteira em outro sentimento. Não sou muito boa em me definir, mas o que eu sinto é que eu mudo de ideia. Me sinto bastante incoerente. Um dia, eu sou básica. Outro dia, eu tenho vontade de ficar perua, ficar exótica e tal”, filosofa. Pouco depois, está às gargalhadas com Cláudia Abreu.

Maria Bethânia e o “desassossego do artista”, por Audrey Furnaleto, na Monica Bergamo de hoje (para assinantes)

O casal chegou e foi embora de mãos dadas, provando que a briga, na sexta-feira, numa festa em que parte do elenco do Flamengo também participou, na Favela da Chatuba, faz parte do passado. Joanna ficou o tempo todo na sala de musculação. E se queixou de como os fatos foram relatados pelos meios de comunicação. Para ela, a confusão foi superdimensionada. A aliança em seu dedo era mais uma prova de que o bom relacionamento voltou. E o Imperador no banco do carona do carro, na hora de ir embora, foi mais uma comprovação de que ela tem o comando do coração e da cabeça do jogador. “É dela que eu gosto, é a minha paixão”, afirmou Adriano, na segunda-feira, quando se reapresentou ao clube.

Adriano: ‘É dela que eu gosto, é a minha paixão’, n’O Dia Online (via Fabi)

Se Adriano é alcoólatra e/ou um doente com depressão, como falam, ele precisa de tratamento psicológico e médico, especializado, e não apenas de tapinhas nas costas, conselhos e filosofias de botequim.
Algumas pessoas, de todas as áreas e de todos os níveis intelectuais, possuem desejos, por variados motivos, de desaparecer, isolando- -se ou não. Em algumas profissões, sumir é charmoso e prático. Muitos escritores desaparecem para escrever seus livros.
Há ainda os que se isolam para refletir sobre suas vidas, verdades, finitudes e insignificâncias diante do mundo.

Tostão, na Folha de hoje (para assinantes)

– Sean Penn, más chavista que Chávez, no Perfil.com

E mais:

– Whatever you give a woman, she´s going to multiply. If you give her sperm, she´ll give you a baby. If you give her a house, she´ll give you a home. If you give her groceries, she´ll give you a meal. If you give her a smile, she´ll give you her heart. She multiplies and enlarges what is given to her. So – if you giver her any crap, you will receive a tone of shit.

Do I Can Read (via Jojo)

Nós que formamos o grupo “Tamarineira: Loucos por ela” temos o objetivo de reunir pessoas em defesa do tombamento do prédio do Hospital Ulysses Pernambucano, de sua expressiva área verde e permanência como centro de tratamento psiquiátrico, preocupados com a ameaça de construção de um centro comercial no terreno do Hospital.

Amigos da Tamarineira pedem a colaboração de todos; assinem a petição

Desde então tenho me esmerado em soltar o fio dental no lixinho, para aplausos da galera. Mas será que um dia conseguirei redimir-me pelas espécies que ajudei a asfixiar, obstruir, intoxicar, intumescer ou envenenar com minha insensibilidade ecológica? E de que adiantará tornar-me ambientalmente correto se meus semelhantes ou, digamos, os vizinhos não fizerem o mesmo?

Ruy Castro, em “Pelo cano” (para assinantes)

etc

don’t touch my mixtape #10: alô, paixão

por   /  10/03/2010  /  2:22

Alô, doçura! Doce ilusão de um coração? Não tem Ivete na mixtape, mas tem um monte de cantores e cantoras que eu amo e ouço sem parar! Curtam aí a seleção   =)

Ouçam a mixtape #10 aqui

A foto é do meu querido amigo João Perassolo

E como eu sei que vocês gostam de saber a ordem das músicas…

01. Jonathan Richman – Hello From Cupid
02. Velvet Underground – Guess I’m Falling in Love
03. Phillys Dillon – Leave It In The Hands of Love
04. Nancy Sinatra – Tonight You Belong To Me
05. Cat Stevens – Don’t Be Shy
06. Lulu Santos – Um Certo Alguém
07. Jorge Mautner – Estilhaços de Paixão
08. Barbara Jones – Walk Through This World With Me
09. Lee Hazlewood e Nancy Sinatra – Dark End Of The Street
10. Elino Julião – Meu Cofrinho de Amor

Agradecimentos especiais a Silvis por mostrar a lindeza que é Elino Julião e a Sino por me lembrar de Lulu, tão essencial!

“Dani, en la calle 12 del Vedado hay un lugar en las memorias para ti. Nos mantenemos en contacto. Un abrazo fuerte y besito, Wi, Frank y Rodri
Me gustaría escribirte a un correo electrónico, cuál?
Otro abrazo de esta familia que te cuenta como miembro suyo,”

uma das tantas ciladas do amor

por   /  10/03/2010  /  2:20

Na realidade, era muito pouco o que sabia Fermina Daza daquele pretendente taciturno que aparecera em sua vida feito uma andorinha de inverno, e de quem não saberia sequer o nome se não fosse a assinatura da carta. Apurara desde então que era filho sem pai de uma solteira laboriosa e séria, mas marcada sem remédio pelo estigma de fogo de um único mau passo juvenil. Descobrira que não era mensageiro do telégrafo, como supunha, e sim assistente bem qualificado e de futuro promissor, e achou que levara o telegrama a seu pai apenas como um pretexto para vê-la. Essa suposição a comoveu. Também sabia que era um dos músicos do coro, e embora nunca tivesse ousado levantar a vista para comprová-lo durante a missa, um domingo teve a revelação de que enquanto os outros instrumentos tocavam para todos o violino tocava só para ela. Não era o tipo de homem que tivesse escolhido. Seus óculos de menino enjeitado, sua postura clerical, seus recursos misteriosos haviam suscitado nela uma curiosidade difícil de resistir, mas nunca imaginara que a curiosidade fosse outra das tantas ciladas do amor.

Gabriel García Márquez, em “O Amor nos Tempos do Cólera”

A foto é de Charlie Engman: http://www.flickr.com/photos/37127597@N08/

amor  ·  fotografia  ·  literatura