Favoritos

lendo a internet (nas eleições)

por   /  21/10/2010  /  19:54

- Infográfico feito pelo Bruno O. Barros, o Ilustre Bob > http://ilustrebob.com.br/

- Para você, leitor indeciso, por Ricardo Lins Horta > Tópico 1: Não é verdade que houve “aparelhamento da máquina administrativa” na Era Lula; Tópico 2: Não é verdade que “houve mais corrupção no governo Lula”; pelo contrário, os últimos 8 anos foram marcados por um combate inédito a esse mal; Tópico 3: Não é verdade que “a economia foi bem no governo Lula só porque este não mudou a política econômica de FHC”; Tópico 4: Não é verdade que o governo Lula “enfraqueceu as instituições democráticas”; pelo contrário, hoje elas são muito mais vibrantes e sólidas; Tópico 5: A campanha de José Serra é baseada nas fanáticas campanhas da direita norte-americana, daí o perigo de referendá-la com seu voto.

- Para você, que não votou na Dilma, por Leonardo de Souza> Você não votou na Dilma no primeiro turno. Também não pretende votar nela no segundo turno. Não apenas você não vai votar nela, como você tem alertado sobre os perigos de se votar na candidata petista. Você tem suas razões para achar que o voto em Dilma não é o melhor para o Brasil. Eu não penso como você. Entendo que o melhor voto para o Brasil é o voto em Dilma Roussef, e não em José Serra. A principal razão que, no meu ponto de vista, justifica o voto em Dilma não é uma única razão. Na verdade, são 53 milhões de razões: entre 2003 e 2008, foram 21 milhões de brasileiros que deixaram a miséria e outros 32 milhões que ascenderam à classe média. Os números dos que chegaram à classe média correspondem mais ou menos ao total de torcedores do Flamengo, e os que saíram da pobreza correspondem aproximadamente à torcida do Corinthians. É isso mesmo: o número de brasileiros que melhoraram de vida na Era Lula é um pouco menor que a soma das torcidas do Flamengo e do Corinthians. A pobreza extrema no país foi reduzida à metade nos anos Lula. Esse salto não se deveu apenas ao bom momento econômico. Isso é fruto de medidas específicas do Governo Federal, tais como o Bolsa Família e o Bolsa Escola.

- A bala de prata do bem, por Leonardo Cisneiros (meu irmão e filósofo) > O ato de ontem no Rio, dos artistas e intelectuais a favor da Dilma, foi o que a campanha da Dilma precisava para mostrar que dá para ganhar eleição inspirando o eleitorado e não o aterrorizando. Chico Buarque, que tinha falado pouco até agora, abriu a boca de improviso somente para acertar na mosca: “[o governo Lula foi] um governo que não corteja os poderosos de sempre, não despreza os sem-terra, os professores, garis. Um governo que fala de igual para igual com todos, que não fala fino com Washington, nem fala grosso com a Bolívia e o Paraguai“. O discurso do Leonardo Boff poderia ocupar um programa eleitoral inteiro e a eleição estaria praticamente ganha.

- Ou avançamos ou ajoelhamos, por Naire Valadares> Sinceramente voltar ao sistema de privatizações, concentração de capital ou à teoria do crescimento para repartir o bolo depois, me parece estupidez. Portanto, creio que votar em Dilma se tornou uma questão de brasilidade porque neste momento histórico do colapso do capitalismo mundial ou avançamos ou ajoelhamos. Claro que há problemas sérios que precisam ser solucionados. Por isso, voto Dilma para consolidar o que foi alcançado pelo povo brasileiro. Não se trata de uma luta entre competências ou personalidades mas de uma batalha entre projetos que envolvem o conjunto deste povo que já tomou consciência da sua força ao eleger com acerto aquele que provou ser capaz  ao tirar grande parte da nossa gente, até então descrente na sua capacidade produtiva, da miséria absoluta. E cá estamos nós, mais uma vez.

E agora vamos para a parte lúdica das eleições:

- O melhor do #boladepapelfacts, na Carta Capital

- Acerte bolinhas de papel no Serra > http://megaswf.com/serve/61506/

- Melô do Serra: Mas só não quero que me faça de bolinha de papel (via @jpcuenca)

etc

the internet has stolen so much precious time

por   /  21/10/2010  /  9:11

A New Yorker explicou perfeitamente o problema que o excesso de e-mails faz nas nossas vidas!

_________________________________________________________________________________________

E-mail auto-response, por Martin Marks

Dear Friend, Family Member, Loved One, and/or Business Associate:

Thank you for your e-mail, which, if it is under three (3) sentences long, I have read. Owing to the large volume of e-mails I’m receiving at this time, please note that it will sometimes take up to fourteen (14) calendar days, though sometimes longer (and sometimes much longer), to respond to your e-mail; in the interim, please rest assured that I am attempting to address, resolve, or think about the matter you have described, unless, of course, I’m avoiding the matter entirely. Some possible reasons for this include:

Thinking about the matter gives me a headache.

—Thinking about the matter takes longer than forty-five (45) seconds.

—Thinking about the matter is simple enough, and takes less than forty-five (45) seconds, but, when combined with all the other e-mails in my in-box, it creates a synergy of matterdom, exacerbating the headaches mentioned at the beginning of this list.

Please note that if your e-mail is more than three (3) sentences in length I have read the first three (3) sentences, skimmed the opening paragraph, and sort of eyeballed the rest of it. Please do not expect a response to your e-mail anytime soon, if at all, for I am not a mind reader, and therefore cannot guess the nature of anything beyond the first three (3) sentences. For those of you who continue to insist on sending e-mails longer than three (3) sentences, here is a Wikipedia entry on haiku. Reformat your e-mails accordingly, as in this example:

I am busy now;
The Internet has stolen
So much precious time.

Under certain circumstances, you may feel as though you cannot express the matter at hand in less than three (3) sentences. Below, please find some possible reasons for this, and their solutions:

—If your e-mail attempts to provide a detailed update on what you’ve been doing since high school, or to “fill me in” on a time period longer than five (5) calendar years, then please call the number provided at the bottom of the e-mail.

—If your e-mail refers to nuanced emotional matters relating to but not limited to a current, prior, potential, or perceived romantic involvement, then please call the number provided at the bottom of the e-mail.

—If your e-mail has been cc’d to three (3) or more people, and includes complicated yet unresolved logistical information regarding the location, time, or general coördination of an upcoming social gathering involving five (5) or more people, then please wait until two (2) hours after the last respondent has answered and then please call the number provided at the bottom of the e-mail. (Be prepared to detail the conclusions reached by the e-mail chain.)

On rare occasions, I will respond almost immediately to your e-mail with a one-to-two-word response. Here is a guide to those responses:

LOL: I am laughing out loud, owing to the absurdity, humor, or sheer stupidity of the matter about which you are writing.

Haha!: See LOL.

Thank you!: Thank you.

THANK YOU!!!!!: Thank you!

Yes!: I approve of, give my consent to, or agree with that which you have written.

Yes!!!!!: I wholeheartedly approve of, give my consent to, or agree with that which you have written.

No: I in no way approve of, give my consent to, or agree with that which you have written.

No!: I am upset and/or disheartened by that which you have written.

Boo!: I am palpably disappointed and/or trying to frighten you.

PPPSSEOT(3)SIL: Please, please, please stop sending e-mails over three (3) sentences in length.

Should you receive a speedy one-to-two-word response, please do not read anything into it. More often than not, such a response doesn’t even correspond to the content of your e-mail. Please note that this auto-response should not be perceived as granting you permission to send any future e-mails, of any length, for any reason.

In closing, I would like to say that the Internet has become a veritable buzzing, stinging hornet’s nest of pings and pongs and klings and klangs, so please do not e-mail, text-message, instant-message, direct-message, Facebook-message (if you’re still on MySpace or Friendster, that’s just plain creepy), Facebook-chat, iChat, tweet, retweet (don’t even mention Twitter mentions), StumbleUpon, LinkIn with, zoom into, Google Buzz, Plaxify, Jigsaw, Digg, Skype, Spoke, poke, flick, or tag me. Don’t boxball, squareball, jingl, jangl, mingl, mangl, FairShare, Foursquare, twosquare, do-si-do, or swing your laptop round and round. I just want to be left alone.

Thanking you for your anticipated coöperation and understanding in this matter,

[Name]

[Fake Telephone Number] ♦

_________________________________________________________________________________________

A foto é de Rikkya Okker

etc  ·  fotografia

quer passar uns dias num resort?

por   /  20/10/2010  /  18:50

Garotas, lembram da ação do Discovery Home & Health por conta do programa “10 Anos Mais Jovem”? Chegou o momento de vocês participarem ainda mais! Pra isso, basta acompanhar o programa e responder à pergunta: o que faz você se sentir mais jovem? A autora da frase mais criativa ganhará uma estadia de três dias no Resort Transamérica Ilha de Comandatuba, na Bahia, com direito a acompanhante, e a segunda colocada ganhará uma transformação com o hairstylist Wanderley Nunes!

O que vocês precisam fazer é pensar na resposta e acompanhar o programa que será exibido no próximo dia 3/11. Durante o episódio, vai aparecer uma palavra-chave. Daí vocês entrarem no Twitter ou no Facebook e contam o que faz vocês se sentirem mais jovem, incluindo essa palavra-chave. No programa do dia 10/11 já sai o resultado. Facinho, né? Participem e aproveitem!

Pra saber mais detalhes sobre o concurso, acessem a página no Facebook > Concurso 10 anos mais jovem

_________________________________________________________________________________________

A pin up aí de cima é criação do Mark Miller

ações  ·  etc

ai, corazón

por   /  18/10/2010  /  1:38

Te engañaron corazón
por ser honrado
entregaste tu querer
a un ser malvado

Te juraron que te amaban
locamente
y hoy te dicen no te quiero
simplemente

Ya no sufras corazón
busca el olvido
con el tiempo lo hallarás
no estás perdido

Ya verás que olvidarás
lo que has sufrido
y al final sé que reirás
corazón mío

A foto é de Joe Curtin

amor  ·  fotografia  ·  música

o tempo da raiva é o mesmo da felicidade

por   /  18/10/2010  /  1:06

“For every minute you are angry, you lose sixty seconds of happiness”. Sabia disso? Julian Germain fez um projeto lindíssimo a partir desse ensinamento. Fotografou por oito anos Charles Snelling, esse senhorzinho fofo da foto acima:

“I met Charles Albert Lucien Snelling on a Saturday in April, 1992. He lived in a typical two up two down terraced house amongst many other two up two down terraced houses… It was yellow and orange. In that respect it was tottaly different from every other house on the street… Charlie was simple, gentle, man. He loved flowers and the names of flowers. He loved colour and surrounded himself with colour. He loved his wife. Without ever trying or intending to, he showed me that the most important things in life cost nothing at all. He was my antidote to modern living.”

Vejam tudo > http://www.juliangermain.com/projects/foreveryminute24.php

Vi a dica no Twitter do Paulo Fehlauer

amor  ·  arte  ·  fotografia