Favoritos

queremos mais thiago pethit no sesc!, por vera egito

por   /  26/01/2011  /  17:00

E vamos dar continuidade à campanha “Queremos mais Thiago Pethit no Sesc, cantando Lou Reed!”

O depoimento de hoje é da querida Vera Egito, cineasta e rainha do emoticon:

O Thiago é mesmo uma coisa! A sensação era essa de presenciar algo importante, bonito demais. Porque o Pethit se encontrou fazendo música e dá pra ver e sentir isso quando assistimos a ele no palco.Lou Reed, Cazuza, Dylan, Cohen. Meninos lindos que fizeram a trilha das histórias de tantas pessoas. O Thiago é assim, é um deles no nosso tempo. E esse show tem quer ser repetido, certamente.Dessa vez no Pompéia (podia ser, né!). Com espaço pra dançar, pra se juntar aos amigos ao lado. Cantar junto, dar as mãos. Coisa linda esse Thiago Pethit…

A foto é do Eduardo Gabriel, de novo

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  música

olhares de fora

por   /  24/01/2011  /  16:10

E Ivi mandou o convite da exposição que ela participa, a “Olharesdefora”, que tem curadoria de Alexandre Belém!

Ele explica:

A exposição se chama Olharesdefora – faz parte da 2ª Mostra SP de Fotografia – e traz seis fotógrafos que não são de São Paulo, mas vivem e trabalham por aqui. A equipe: Adelaide Ivánova (PE), Gustavo Lacerda (MG), Daniel Marenco (RS), Fernando Schmitt (RS), Rogério Assis (PA) e Daniel Klajmic (RJ).

2ª mostra sp de fotografia

por   /  24/01/2011  /  16:03

Pra comemorar o aniversário de São Paulo, rola a 2ª Mostra SP de Fotografia. Quero ver um monte de coisa!

A partir de janeiro de 2011, a 2ª Mostra SP de Fotografia passa a morar definitivamente na Vila Madalena. A cada aniversário da cidade, a cada ano e por algumas semanas, a ideia é ocupar com fotografia, o bairro mais festivo e gastronômico da metrópole, levando o público a um simpático passeio pelas ruas. O evento cria uma literatura visual de São Paulo e identifica, prestigia, apresenta e recupera trabalhos e autores.

Curtam o blog > http://www.mostrasaopaulodefotografia.blogspot.com/

E a página no Facebook > http://www.facebook.com/pages/2a-Mostra-SP-de-Fotografia/174656459238404?v=wall

queremos mais thiago pethit no sesc!

por   /  24/01/2011  /  13:30

O Velvet Underground mudou a minha vida. A frase é hiperbólica pra combinar com a fase em que isso aconteceu, a adolescência. Foi graças a Lou Reed e companhia que eu tive aulas sobre música, amor, dor, vício, exagero.

Terça-feira passada, Thiago Pethit subiu ao palco do Sesc Consolação para interpretar músicas de Lou Reed. O projeto “Ingressos Esgotados” consistiu em  reunir artistas daqui para interpretar músicas de artistas gringos que passaram pelo Brasil no ano passado e viram seus ingressos consumidos vorazmente pelos fãs.

Quando o Pethit começou a cantar, me emocionei. Já vi alguns shows desse amigo querido, mas ali no Sesc ele era Lou Reed encarnado. A voz, a postura, o figurino, tudo foi pensado para que aquela noite fosse histórica. Percebi como Pethit não é apenas um cantor, mas um artista: vestiu seus músicos com cores primárias, assim como fazia Andy Warhol (e muito antes do Restart, como ele fez questão de dizer, rindo), chamou a maravilhosa Renata Bastos para ser sua Candy Darling, passeou pelo repertório de Lou Reed com uma segurança e uma alegria impressionates!

200, 300 pessoas presenciaram esse momento sensacional,o que é muito pouco para a grandiosidade do que aconteceu ali. Por isso, começo aqui uma campanha: Sesc, por favor, faz uma temporada do Thiago Pethit cantando Lou Reed! Muita gente quer ver, muita gente merece ver. Ao longo da semana, amigos queridos que estiveram no show também vão contribuir para a campanha! Fiquem ligados  =)

As fotos lindas são do Eduardo Gabriel

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  música

tudo junto e misturado

por   /  21/01/2011  /  14:00

Plano, por Noemi Jaffe

fico incomodada quando ouço dizerem: no plano profissional estou bem, mas no plano emocional, não; plano quer dizer nível, uma espécie de andar. isso significa que, ao nos referirmos à nossa vida em termos de planos, estamos dividindo-a em andares. penso que justamente o fato de verticalizarmos tanto a vida e a personalidade, é uma das razões para sermos infelizes. se fôssemos mais horizontais e se profissão e emoção não ficassem em dois planos diferentes, mas misturados, como já são, talvez tivéssemos menos problemas e certamente haveria menos mediocridade.

_________________________________________________________________________________________

A foto é de F. Obregon

amor  ·  fotografia  ·  literatura