Favoritos

baile de debutante do trabalho sujo

por   /  08/04/2011  /  12:11

Sábado é dia de festa! O Matias comemora 15 anos do Trabalho Sujo e chamou uma galera pra discotecar!

Vamos? > http://on.fb.me/hs6Hal

15 ANOS DE TRABALHO SUJO
Sábado, 9 de abril de 2011, a partir da meia-noite
Gente Bonita + Veneno Soundsystem + SRY + Don’t Touch My Moleskine
Na Trackertower
Rua Dom José de Barros 337, esquina com av. São João
$20 / $15 lista (para incluir seu nome na lista, basta confirmar a presença na página do evento no Facebook ou mandar email para baileveneno@gmail.com)

amor  ·  arte  ·  especial don't touch  ·  festa  ·  moleskine nights  ·  música

avô

por   /  05/04/2011  /  10:41

Avô, de Rodrigo Levino

Ontem mesmo a casa estava cheia. Música, talheres, risadas, gente correndo da cozinha para a sala com panelas e pratos, o tédio dos adolescentes pontuando a algazarra.

A rede está pendurada na varanda há 50 anos. É uma vida, me diz a filha mais velha arqueando as sobrancelhas e franzindo os lábios, quero ser como vocês dois, sorri a neta com a ingenuidade que em alguns anos se transformará em desdém e falta de paciência – velhos são insuportáveis.

Só há sossego em Antonio, sorrindo, cambaleando, olha vovô, o bicho. Foi meu único pedido na carta: poupem-no de ver o corpo.

_________________________________________________________________________________________

A foto é de Willa S. Nasatir

amor  ·  literatura

amor, o filme, resultado!

por   /  04/04/2011  /  15:42

Queridos, vocês são lindos! Difícil escolher as melhores frases pra pergunta “quando seu amor foi violento?”

Mas eis aqui os escolhidos. E a boa notícia é que, em vez de três pessoas, escolhi cinco! Nos vemos amanhã, às 21h30, na pré-estréia do filme, certo?  =)

Atenção! A Giovana e o André não podem ir no cinema hoje, então escolhi mais duas frases!

Dani – O amor é um ato de violência, de invasão, de tomada de posse em todos os momentos, porque exige, manipula e tempera um coquetel de sentimentos que explodem a cada dia em peitos quentes de coração mole e valente. Um amor meu foi violento quando respondeu à minha insegurança com descaso pensado… pensado mesmo pra ferir. Parece que a gente quer que o outro sinta a dor que ele nos causa por nos fazer amar. Tudo o que a gente quer é compartilhar.

Julia – Meu amor foi violento quando foi intenso e efêmero. Proibido, mas delicioso. Causou impacto em mim e nos outros. Durou bem pouco, mas foi amor. De dentro pra fora e de fora pra dentro.

Os de antes tinham sido esses:

Lucas – “Meu amor foi violento quando eu entendi que era o fim, mas que ainda não era o fim pra mim. Meu amor foi violento quando eu tive de sufocar tudo dentro de mim pra poder ver o outro feliz.”

Giovana – “Amor violento é pleonasmo.”

Emanuel – “Meu amor ficou violento quando eu decidi que não iria mais amar, quando eu parei de ver os amigos, quando eu parei de ouvir as músicas bonitas… O amor ficou violento quando eu tentei me proibir de amar.”

Miriam – “Hoje acordei cantarolando baixinho Amor Violento. Acho que sonhei com você. Eu, você, dançando ao som do Los Tres. De repente a gente se encontrava depois de um tempo e se amava daquele jeito desesperado. E dançava. Na verdade, eu dançava e você me olhava. Acordei com uma rosa vermelha no travesseiro e um recado desenhado na fronha: obrigado por ser somente minha esta noite. Acordei chorando baixinho, e podia te ouvir cantando pra mim: porque un amor violento nos deslumbró/ un amor violento nos fulminó.”

André Kano – “Numa tarde de sexta-feira, quando a cabeça, o coração e o corpo passam por aquele momento de transição entre a compleição ao trabalho e o relaxamento de sentidos na diversão, recebi um torpedo em meu telefone celular. A remetente era minha ex-namorada, com quem por um ano fazia eu planos de casamento, filhos, conquistas e vida longa, quiçá além da própria vida. Foi como se um buraco negro tivesse sido aberto no peito a sugar para dentro de si tudo em que o amor me fez acreditar. A mensagem, aqueles 140 caracteres, dizia que o nosso relacionamento chegava a um fim. Pensem bem o que se pode fazer em 140 caracteres antes de fazer em 140 caracteres. No meu caso, um fim prematuro diante de tantos planos e desejos. Senti-me violentado até nas coisas mais íntimas. Revidei com a mesma violência em e-mails com 140 mil toques. Arrependi-me depois. Vida que segue, para além de palavras.”

ações  ·  amor  ·  cinema

eu menti pra você

por   /  01/04/2011  /  8:00

Pra celebrar o dia da mentira, nada melhor do que Karina Buhr com sua música “Eu menti pra você”!

Eu sou uma pessoa má
Eu menti pra você
Eu sou uma pessoa má
Eu menti pra você
Você não podia esperar ouvir uma mentira de mim
que pena, não sou o que você quer de mim

Se você tiver que escolher entre você e o seu amor
você escolhe quem, você escolhe quem?
Se você tiver que escolher entre você e o seu amor
Your love, your love, your love

Talvez o tempo possa me livrar da culpa
que eu não sei se vem de mim ou da cruz de Jesus
Mas eu tenho ainda um grande amor pra te dar
Quero saber se você aceita ele como for
My love is your love

E sabe o que é legal? Dá pra baixar o disco dela inteiro, com capa, letra e cifra dessa música. Basta clicar aqui, ó > http://www.megaupload.com/?d=BPUKAI9Q

amor  ·  música