Favoritos

inhotim, um lugar que você precisa conhecer

por   /  26/09/2012  /  10:35

Bem-vindos a Inhotim

Inhotim é um deslumbre, um daqueles lugares que a gente vai e quase não acredita que existe de verdade. Simplesmente porque tudo por lá é grandioso, hiperbólico. As obras existem num cenário que mistura arquitetura, paisagismo e natureza deslumbrantes, que transformam a maneira como a gente vê, contempla, sente e se emociona com trabalhos de arte contemporânea.

No começo do mês, fui convidada* para conhecer os novos pavilhões do instituto. Fiz uma viagem rápida, de um dia e meio, e revi algumas obras pelas quais eu tinha me apaixonado da primeira vez que fui lá, há uns três anos, e me encantei com as novas.

Lygia Pape, Cristina Iglesias, Tunga e Carlos Garaicoa são os artistas que ganharam novos pavilhões no maior instituto de arte contemporânea do Brasil _e um dos maiores do mundo. Artistas como León Ferrari e Mateo Lopez passam a dividir a Galeria Mata com outros nomes.

Eles se juntam a artistas como Adriana Varejão, Matthew Barney, Chris Burden, Janet Cardiff e Dave Aitken no lugar criado por Bernardo Paz em 2002 e aberto ao público em 2006 _e cujo acervo é avaliado em R$ 400 milhões.

Localizado na cidade de Brumadinho, a 6o km de Belo Horizonte, Inhotim ocupa 225 hectares (sendo 110 visitáveis, ou o equivalente a mais de 100 campos de futebol). No ano passado, recebeu mais de 245 mil visitantes, e a expectativa para esse ano é bater os 400 mil.

Os números são mesmo impressionantes: Inhotim tem cerca de 130 artistas de 32 nacionalidades em seu acervo, totalizando 600 obras em acervo e 80 em exposição.

Nos planos futuros, há ao menos duas galerias em andamento: uma para Olafur Eliasson e outra para Anish Kapoor.

Se eu fosse você, aproveitava o próximo fim de semana, um feriado ou as férias e corria pra lá pra ver de perto tudo isso!

Vamos conhecer os novos pavilhões?  =)

Lygia Pape

Por fora, o concreto parece retorcido. Você entra no pavilhão e se depara com a escuridão quase total. Uma luzinha na altura do pé tenta desfazer a sensação de cegueira momentânea. Alguns passos e lá está a “Ttéia número 1″, obra de Lygia Pape (1927-2004) finalizada em 2002.

Com seus fios dourados, a obra estimula uma experiência sensorial muito forte _não só pela beleza do trabalho, de sua geometria, mas porque a perspectiva fica difusa, você vê algumas linhas de perto, mesmo que não esteja tão perto assim.

O trabalho tem aquela simplicidade das coisas grandiosas de verdade. Consiste em fios dourados, meio elásticos, meio metálicos, batidos no chão com pregos, e luz.

O pavilhão, feito pelo escritório Rizoma, buscou fazer dois quadrados, um em cima do outro, mas deslocados. E é assim que a gente fica quando vê a obra de Lygia Pape de perto, sem saber direito onde estamos.

“O prédio que envolve a obra possui uma certa distorção em sua estrutura, o que permite ao visitante, uma vez frente ao trabalho, perder a capacidade de orientação diante da obra”, disse Jochen Volz, curador e diretor artístico de Inhotim.

Cristina Iglesias

Imagine andar pelo meio de uma mata e dar de cara com uma clareira onde foi erguida um construção toda espelhada? “Vegetation Room”, de Cristina Iglesias, provoca surpresa e convida a gente a explorar seus labirtintos.

O trabalho da artista espanhola se insere na natureza e quer ser um pouco dela também. O quadrado espelhado, feito de aço inoxidável polido, guarda em seu interior paredes cobertas com relevos de padrões vegetais _e que convidam a gente a passar a mão, a sentir a textura que parece tão real.

O quarto tem quatro entradas _três são labirintos, que não levam a lugar nenhum. Você tem que errar algumas vezes até chegar na entrada “certa”, onde existe uma abertura no chão por onde passa uma fonte. No meio daquilo que é um corpo estranho na natureza, existe uma fonte de água que jorra em velocidade variável e acaba deixando tudo integrado.

“A artista criou um espaço que se aproxima de uma estrutura arquitetônica, mas que também é escultura e lida diretamente com a representação de elementos da natureza”, disse o diretor adjunto de programas artítiscos e culturais, Rodrigo Moura.

Tunga

Tunga tem o maior pavilhão de Inhotim, com cerca de 2.600 metros quadrados, que abriga oito grandes instalações e esculturas. Entre as obras do artista pernambucano radicado no Rio, estão “Lézart”, de 1989, e “Palíndromo Incesto” (1990-1992), além do filme-instalação “Ão”, de 1980.

“Quando esse prédio foi projetado, quando Bernardo Paz me convidou para colocar juntos momentos diversos do meu trabalho, eu pensei que era pertinente trazer outras obras, algumas efêmeras, como performances, outras menores, que tivessem signifcado não só por si, mas que criassem conectividade com o que tem aqui”, disse o artista.

E falou mais sobre o espaço: “É a concretização de uma conjunção de  ideias, como num sonho, que são oriundas de tempos, momentos, reflexões diversos, mas constituem uma totalidade. Essa totalidade quem dá é a subjetividade, que se manifesta na arte de modo a construir através de uma expressão de um sujeito aquilo que tem em todo mundo. O que se tem aqui é uma experiência comum de uma imagem que nos pertence e passa a nos pertencer”.

Galeria Mata

Para este ano, a Galeria Mata recebe obras de Edward Krasinski (Polônia), João José Costa (Brasil), Juan Araujo (Venezuela), Léon Ferrari (Argentina), Luisa Lambri (Itália) e Mateo López (Colômbia).

Todo ano, Inhotim realiza mostras temporárias de sua coleção em quatro galerias. O objetivo, segundo o instituto, “é oferecer novos recortes e interpretações sobre o acervo, sejam novas aquisições ou obras já apresentadas, em leituras que priorizam o diálogo entre gerações, linguagens e nacionalidades”.

Gostei muito do trabalho “El Palacio de Papel”, de Mateo López. E dos desenhos do León Ferrari. São heliogravuras, obras gráficas realizadas no fim dos anos 1970, quando ele passou pelo Brasil. Os desenhos têm muito de arquitetura _parecem plantas. Mas no lugar de detalhes de uma casa, o artista representa situações humanas repetidas à exaustão.

Carlos Garaicoa

A obra de Carlos Garaicoa foi a que menos me entusiasmou. O artista cubano mostra em Inhotim a instalação “Now Let’s Play to Disappear 2″ (2002), que é uma mesa ocupada por miniaturas de edifícios famosos, como o Empire State, transformados em velas que são acesas todos os dias.

A ideia foi uma reação aos acontecimentos do 11 de setembro, em Nova York. “À medida que o fogo vai consumindo, a obra vai desaparecendo. O trabalho lida com o aspecto efêmero da escultura. É uma escultura que se consome no espaço”, explicou o curador Rodrigo Moura.

* Obrigada pelo convite, Agência Lema!

______________________________________________________________________________

Mais Inhotim > https://www.facebook.com/Instituto.inhotim

Vejam os outros posts:

Inhotim | Pelo Instagram > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-pelo-instagram/

Inhotim | Lygia Pape > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-lygia-pape/

Inhotim | Cristina Iglesias > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-cristina-iglesias/

Inhotim | Tunga > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-tunga/

amor  ·  arte  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  fotografia

inhotim | tunga

por   /  26/09/2012  /  10:30

Obras de Tunga, que ganhou um pavilhão com mais de 2.600 metros quadrados.

No vídeo abaixo, mais sobre o pavilhão:

As fotos são de Pedro Motta e Daniela Paoliello.

______________________________________________________________________________

Mais Inhotim > https://www.facebook.com/Instituto.inhotim

Vejam os outros posts:

Inhotim | Um lugar que você precisa conhecer > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-um-lugar-que-voce-precisa-conhecer/

Inhotim | Lygia Pape > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-lygia-pape/

Inhotim | Cristina Iglesias > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-cristina-iglesias/

Inhotim | Pelo Instagram > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-pelo-instagram/

inhotim | lygia pape

por   /  26/09/2012  /  10:25

Pavilhão de Lygia Pape, em Inhotim.

Obra “Ttéia número 1″, que é linda demais!

Vejam o vídeo > http://www.youtube.com/watch?v=2rGYukikoeY&feature=share&list=UL2rGYukikoeY

As fotos são de Daniela Paoliello.

______________________________________________________________________________

Mais Inhotim > https://www.facebook.com/Instituto.inhotim

Vejam os outros posts:

Inhotim | Um lugar que você precisa conhecer > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-um-lugar-que-voce-precisa-conhecer/

Inhotim | Cristina Iglesias > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-cristina-iglesias/

Inhotim | Tunga > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-tunga/

Inhotim | Pelo Instagram > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-pelo-instagram/

amor  ·  arte  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  fotografia

inhotim | cristina iglesias

por   /  26/09/2012  /  10:20

“Vegetation Room”, de Cristina Iglesias.

Faça um tour pela obra no vídeo abaixo:

As fotos são de Daniela Paoliello.

______________________________________________________________________________

Mais Inhotim > https://www.facebook.com/Instituto.inhotim

Vejam os outros posts:

Inhotim | Um lugar que você precisa conhecer > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-um-lugar-que-voce-precisa-conhecer/

Inhotim | Lygia Pape > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-lygia-pape/

Inhotim | Tunga > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-tunga/

Inhotim | Pelo Instagram > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-pelo-instagram/

amor  ·  arte  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  fotografia

inhotim | pelo instagram

por   /  26/09/2012  /  10:15

Durante a viagem para Inhotim (vejam o post completo aqui), publiquei muitas fotos no Instagram, usando a hashtag #donttouch_inhotim.

Quem tiver um perfil por lá basta procurar a hashtag (ou o meu perfil, @daniarrais) pra ver tudo!

O dia estava LINDO!

“Ttéia número 1″, de Lygia Pape

“Vegetation Room”, de Cristina Iglesias

Eungie Joo, a nova curadora de Inhotim, no pavilhão do Tunga

Detalhe no pavilhão do Tunga

Trabalho de Mateo Lopez

Bonequinhos de León Ferrari

O maravilhoso pavilhão de Adriana  Varejão

Detalhe do pavilhão

Azulejo de Adriana Varejão

A grandiosidade de Matthew Barney

“True Rouge”, de Tunga

Menina feliz. Foto que fiz pra outra série, chamada #retratosanônimos

Menino lindo, também para o #retratosanônimos

Um coração involuntário

Fim de uma tarde maravilhosa!

______________________________________________________________________________

Mais Inhotim > https://www.facebook.com/Instituto.inhotim

Vejam os outros posts:

Inhotim | Um lugar que você precisa conhecer > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-um-lugar-que-voce-precisa-conhecer/

Inhotim | Lygia Pape > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-lygia-pape/

Inhotim | Cristina Iglesias > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-cristina-iglesias/

Inhotim | Tunga > http://donttouchmymoleskine.com/inhotim-tunga/

amor  ·  arte  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  fotografia