Favoritos

direto de ny: depois de sandy

por   /  30/10/2012  /  15:15

#Sandy #Frankenstorm passou e está tudo bem! Por aqui foi só um dia de chuva e vento forte.

A internet caiu à noite, mas voltou pela manhã. Nem luz faltou!

Agora saindo pra ver a rua, encontramos essa árvore caída bem na esquina (e um monte de gente instagramando a mesma cena).

Já tem gente cortando o tronco e em pouco tempo a rua ficará livre.

Obrigada, cosmos e Brooklyn!

E todo mundo que ficou aí torcendo pra que tudo ficasse bem ♥

direto de ny: antes de sandy chegar

por   /  29/10/2012  /  19:37

O vento continua forte, mas nada mudou muito até agora.

Por volta do meio-dia, saímos pra comprar mais água e comida.

Acima, a vista da rua, no Brooklyn Heights.

Parada pra fazer uma refeição decente: fomos ao Building on Bond, que estava aberto, mas com cardápio reduzido.

O restaurante estava quase lotado; todo mundo matando um hambúrguer com fritas antes de Sandy chegar.

No Wallgreens, as estantes de água, suco e refrigerante pareciam saqueadas. Deu pra comprar umas garrafas.

Mas já entendi que um cálculo foi errado: compramos apenas um pack de cerveja… I’ve already drank half of my supplies! (referência:  @jeremyscahill no Twitter)

As prateleiras de chocolate tavam ainda piores. Ô povo junkie! (me sinto em casa)

Na saída, um cachorro muito fofo fazia focinho de preocupado.

Acima, o que temos de comida pra esses dias. Como se pode ver, a preocupação com elementos nutritivos norteou as compras…

direto de ny: furacão sandy

por   /  29/10/2012  /  18:00

Estamos aqui, diretamente de Nova York, dentro de casa, à espera do furacão Sandy!

Se tudo o que a mídia está dizendo for verdade, vejo vocês daqui a uns dias, porque a cidade vai inundar, uma falha de eletricidade pode durar semanas, não sei pra onde vai dar pra ir, já que o transporte público pode demorar dias pra voltar (desde ontem à noite metrôs e ônibus já não funcionam).

A situação é tensa, viu?

Mas tô preferindo pensar que os americanos são hiperbólicos e que vai ser só um susto.

Hoje de manhã ainda deu pra andar pelo bairro (Brooklyn Heights), comprar umas coisas no Wallgreens (não tinha mais lanterna, só umas velas enormes) e perder dois guarda-chuvas em um intervalo de dez minutos.

O vento tá forte (teve uma hora que até dei uma seguradinha numa árvore), e a previsão é que Sandy chegue somente em oito horas.

Já que num dá pra fazer nada da programação intensa que tínhamos preparado, vamos ficar na internet, né?

Vou ficar postando umas coisas por aqui (relacionadas e não relacionadas ao furacão). E lá no Twitter (@daniarrais) coloco mais coisas sobre a Frankenstorm.

Pra começar, um texto do David Carr, colunista do New York Times, sobre como a TV faz um looping de antecipação desde sexta-feira. Em certa altura do texto, ele fala:

“Worse than Irene” was trending on-air Monday, as was, “Get out now!” “Monster storm” is becoming a trademark of Sandy coverage, in part because it makes a natural event sound like a movie and partly owing to its size, duration and area of impact. Makes you wonder what will be left in the bank of hyperbole for tonight when Sandy actually makes landfall.

Leiam o texto > http://nyti.ms/UaSkEZ

wim wender’s wanderlust

por   /  25/10/2012  /  8:15

Win Wenders faz fotos de lugares nada óbvios.

As imagens mostradas neste post foram feitas entre 1983 e 2011 em Salvador, Palermo, Armênia, Berlin, Estados Unidos, entre outros.

Ele fala um pouco sobre suas viagens:

“When you travel a lot, and when you love to just wander around and get lost, you can end up in the strangest spots. I have a huge attraction to places. Already when I look at a map, the names of mountains, villages, rivers, lakes or landscape formations excite me, as long as I don’t know them and have never been there … I seem to have sharpened my sense of place for things that are out of place. Everybody turns right, because that’s where it’s interesting, I turn left where there is nothing! And sure enough, I soon stand in front of my sort of place. I don’t know, it must be some sort of inbuilt radar that often directs me to places that are strangely quiet, or quietly strange.”

Via Kinoimages

amor  ·  arte  ·  cinema  ·  fotografia

um jeito novo de ouvir as mixtapes do don’t touch

por   /  23/10/2012  /  8:33

Ouço música o tempo todo, adoro uma festa (faço umas de vez em quando, toco em algumas outras), vou a muitos shows. Sou apaixonada por música, esse clichê.

E adoro fazer mixtapes. Pensar numa seleção de amor, em outra de festa, em mais uma pro coração partido, naquela que vai celebrar a primavera.

Vocês sempre acompanharam por aqui as mixtapes do Don’t Touch, tanto as que eu faço quanto as que amigos com super bom gosto fazem também (dá pra ouvir tudo aqui > http://donttouchmymoleskine.com/category/categorias/especialdonttouch/mixtapes/).

Agora, o Don’t Touch faz uma parceria com o Rdio, um site que possui um catálogo com mais de 18 milhões de músicas e facilita a vida da gente.

E como ele faz isso? Permitindo que você guarde sua coleção de músicas no computador, no celular, tudo sincronizado!

Você cria uma conta lá e começa a fazer sua coleção de músicas. Segue amigos, conhecidos, gravadoras, gente influente. E é aí que o Don’t Touch entra!

A partir de agora, o Don’t Touch é um influenciar do Rdio. Não é demais? =)

Os primeiros dias são grátis. E digo pra vocês: vale passar do período de degustação e fazer uma conta por lá. Os planos começam em R$ 14,90 por mês _ou o equivalente a uma corrida de táxi.

Pra começar, fiz uma mixtape intitulada Pra encher o mundo de good vibes!

Ouçam ♥

amor  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  mixtapes  ·  música