Favoritos

viva o momento

por   /  30/04/2013  /  17:08

Da fanpage da Contente:

Vivemos em uma época de tanta auto-exposição que a memória esta super estimada. Quantas vezes vivemos o momento já pensando no depois? Em como o que está acontecendo vai afetar a nossa história? Em como o fato vai ilustrar a timeline da nossa vida? Sacamos os nossos celulares e temos ânsia de registrar o que está acontecendo para a memória ficar mais completa. São tantas armadilhas para o nosso ego que focar cada vez mais em viver o momento com plenitude vira um desafio. Mas acreditamos que vale a pena se esforçar!

amor  ·  auto-ajuda  ·  fotografia  ·  internet

survival guides são paulo

por   /  30/04/2013  /  8:34

“Survival Guides São Paulo” é um curta-metragem sobre a imersão do artista inglês Patrick Waterhouse no Projeto Quixote, que atende meninos de rua de São Paulo.

A direção é de Fernanda Fernandes, que explica:

O “Survival Guides São Paulo” surgiu de uma parceria entre a Revista Colors o Projeto Quixote, uma OSCIP com sede em São Paulo que trabalha com meninos de rua em sua maior parte dependentes de drogas, dando atendimento clínico, social e tentando reintegrar esses jovens às suas famílias.

O Patrick foi convidado pela revista Colors para dar um workshop artístico para esses meninos durante uma semana e eu acompanhei o processo. A proposta era que os meninos criassem um guia pessoal a partir da experiência que eles tem no dia-a-dia nas ruas, com tudo o que eles consideram necessário para sobreviver em São Paulo. Durante uma semana, os meninos trocaram as ruas pelo Projeto Quixote e passaram a acordar e dormir respirando arte.

Foi uma experiência absolutamente intensa, que resultou em algumas rematriações (é o processo de sair das ruas e voltar para casa) e em uma perspectiva de futuro bem diferente.

Vejam o filme, vale a pena!

amor  ·  arte  ·  ativismo  ·  trabalho  ·  vídeo

expressas dtmm

por   /  29/04/2013  /  9:08

– Grimes fala de sexismo na indústria da música, em um post importante em seu Tumblr: I don’t want to have to compromise my morals in order to make a living. i dont want my words to be taken out of context. i dont want to be infantilized because i refuse to be sexualized. i dont want to be molested at shows or on the street by people who perceive me as an object that exists for their personal satisfaction. i dont want to live in a world where im gonna have to start employing body guards because this kind of behavior is so commonplace and accepted and I’m pissed that when I express concern over my own safety it’s often ignored until people see firsthand what happens and then they apologize for not taking me seriously after the fact… I’m tired of men who aren’t professional or even accomplished musicians continually offering to ‘help me out’ (without being asked), as if i did this by accident and i’m gonna flounder without them.  or as if the fact that I’m a woman makes me incapable of using technology.  I have never seen this kind of thing happen to any of my male peers. Continuem lendo: http://actuallygrimes.tumblr.com/post/48744769552/i-dont-want-to-have-to-compromise-my-morals-in-order

– Seis Músicas é um projeto de playlists para várias ocasiões: http://seismusicas.tumblr.com

The Soul of São Paulo: Rock, Rap and Future Music from the Endless City, um podcast bem interessante sobre as cenas musicais da cidade. Com participações de Lulina, Thiago Pethit, Bárbara Eugênia, Holger, Arnaldo Antunes.

– A cantora Bluebell chamou um monte de gente e fez o I Charleston SP, um vídeo delicioso!

– Cartas para Distâncias Mínimas mostra a correspondência de dois amigos que moram na mesma cidade, fizeram faculdades juntos e se encontram durante toda semana, mas que, por uma semana, ficaram incomunicáveis para trocar cartas ao modo antigo: http://cartasparadistanciasminimas.tumblr.com

Carta aos amigos, por Kátia Mello: a pressa de viver passou. a gente quer muito e quer pra ontem. isso só gera ansiedade. e a vida é feita de patinar no gelo. de ler um livro q esmaga seu coração como num acidente. de fazer um amigo seu parar de chorar ou de dividir um copo de cerveja e experiências de vida. de aprender a fazer pão só pra poder comer quentinho. de ouvir um som q só pode ser inspiração divina. de visitar lagos sulfurosos. de sentir saudade e ter certeza q tudo vai passar: a paisagem, a glória, a baía, o beco. o q eu vejo é horizonte.

– “L’Écume des Jours”, o novo filme de Michel Gondry.

amor  ·  arte  ·  cinema  ·  design  ·  fotografia  ·  literatura  ·  música

o beijo que nunca termina

por   /  26/04/2013  /  9:15

Para todos os apaixonados, O beijo! ♥

O projeto é de Alexandre Paschoalini e Thany Sanches, coreografado pela Commit para a música ‘Lívia’, de Marcelo Camelo, interpretada por Thomas Rorher na rabeca. Alexandre explica:

Eu e minha mulher estávamos no parque e foi durante um longo beijo que a ideia surgiu. Logo depois de desgrudar, disse a ela: tive uma ideia. Na hora já começamos a conversar sobre como seria. A Thany desenhou parte por parte em papel vegetal (cada personagem tem 1,50 m) e fotografamos individualmente também antes de tratar, encaixar no Photoshop e entregrar pro Lucas, que fez a programação.

Acho que, além de criar um beijo nosso que não terminasse nunca, queríamos fazer um projeto simples que fosse o mais próximo de uma dança. Daí logo veio a ideia de chamar o Marcelo Camelo pra fazer a trilha, já que tudo apontava para um quase clipe. O Marcelo foi super sensível e vasculhou todo seu repertório, encontrando essa versão que tinha guardada de uma música sua.

A combinação do resultado foi um projeto que muita gente gostou de interagir. Ainda hoje eu me pego entrando no site de vez em quando pra dançar com o gosto daquele nosso beijo no parque.

Apreciem > http://obeijo.co/

amor  ·  arte  ·  internet

1 livro: a vida privada das árvores

por   /  25/04/2013  /  11:50

Depois de “Bonsai”, Alejandro Zambra nos deixa feliz com “A vida privada das árvores”.

Destaco um trecho:

Sabe-se que muito em breve Ernesto não voltará mais. Imagina-se desconcertada, e depois furiosa, e finalmente invadida por uma decisiva quietude. Tudo bem, era sem compromisso, como deve ser: ama-se para deixar-se de amar e se deixa de amar para começar a amar outros, ou para ficar sozinho, por um tempo ou para sempre. Esse é o dogma. O único dogma.

Lindo, né? ♥

Leiam, é um daqueles livros que você lê em duas horinhas, pra depois ficar pensando no quanto queria que o tempo tivesse demorado mais a passar…

(Obrigada pelo presente, Cosac Naify!)

amor  ·  arte  ·  literatura

lanche da tarde

por   /  24/04/2013  /  14:06

Amei essa foto! É do William Gedney.

William Gedney (Oct. 29, 1932 – 1989), American b&w photographer, chronicler of the public culture of the US in the 50s and 60s: New York City, San Francisco at the height of the counterculture, etc.

Achei no Seditions.

amor  ·  fotografia