Favoritos

Resultado da busca "thiago pethit"

moon, de thiago pethit

por   /  17/09/2013  /  14:30

Cada vez mais o Thiago Pethit mostra como é um artista completo. Ele não apenas canta e compõe mas também inventa de transformar um videoclipe em um curta-metragem.

“MOON” é sua mais nova empreitada. É um clipe e é um filme, dirigido por Heitor Dhalia (de filmes como “À Deriva”, “O Cheiro do Ralo” e “Gone” e do aguardado “Serra Pelada”), com roteiro do próprio Thiago e da Vera Egito.

Filmado em São Paulo, “MOON” conta a história de um jovem casal que vê a paixão dar lugar a surpresa, ciúme e confusão quando a menina descobre que seu namorado é garoto de programa. Cenas quentíssimas se misturam ao submundo paulistano, com figurinos inspirados nos anos 1990 e em ícones como Joe Dallesandro, um dos musos de Andy Warhol.

Vejam o clipe! ♥

Em entrevista ao Don’t Touch, Pethit conta mais sobre “MOON”:

– Como foi que vocês tiveram a idéia pra ele? E como foi ser roteirista também?

Nos encontramos diversas vezes ao longo do ano para conversarmos, eu, Heitor e Vera Egito, sobre o que seria o vídeo-clipe-filme de “MOON”. Primeiro surgiram os lobos. Depois foi a temáticoAdos garotos perdidos e, por fim, a questão do triângulo amoroso e da vida desses meninos. Fomos juntando ideias e cenas nas conversas e, ao fim, escrevi um pequeno conto amarrando tudo isso às mensagens que serviriam de argumento pra Vera reescrever e transformar aquilo num roteiro de verdade.

Não é a primeira vez que me “intrometo” no roteiro, sempre o fiz de algum jeito. Mas, dessa vez, foi mais sério e ainda mais prazeroso.

– Você filmaram onde?

Filmamos em quatro locações diferentes, sempre em busca de fugir dos clichês sobre as história da cidade de SP que já conhecemos. A locação principal foi a entrada do viaduto Minhocão, por debaixo da Praça Roosevelt. Depois, o topo do Edíficio Planalto, um apartamento no mesmo prédio e um motel no centro da cidade.

– E como chegaram nesse casting?

O casting foi uma colaboração dos queridos Edu Piva e Carminha, da ETC Elenco, para construir os personagens coadjuvantes e a maravilhosa atriz Nara Chaib, que interpreta a garota principal do triângulo. Os dois garotos principais, Lucas Veríssimo e Vini Uehara, foram descobertas feitas através do Facebook, por indicações e entre milhares de trocas inbox até o dia da entrevista com o Heitor, que selecionou o elenco, junto com a Kity Féo (a incrível assistente de direção) e eu.

As fotos que ilustram esse post são do Gianfranco Briceño.

amor  ·  arte  ·  entrevistas  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  música  ·  vídeo

les concerts a emporter: thiago pethit

por   /  29/08/2011  /  12:15

Finalmente ficaram prontos os vídeos que o Vicent Moon fez com o Thiago Pethit!

São tão, mas tãaaaao bonitos, que chega dão aquela alegria no coração, sabe?

L’idée du petit cabaret a la paulista restait en tête, avec un piano au milieu, on se disait qu’il fallait le sortir dans la rue mais pas n’importe quelle rue – le Minhocao, la fameuse et haïe autoroute qui transperce le centre ville, transformée en grande aire de jeu tous les dimanches lorsqu’on y interdit la circulation.

Assistam!

Take Away Show _ THIAGO PETHIT (1: mapa mundi) from Vincent Moon / Petites Planètes on Vimeo.

Take Away Show _ THIAGO PETHIT (2: não se vá) from Vincent Moon / Petites Planètes on Vimeo.

Take Away Show _ THIAGO PETHIT (3: forasteiro) from Vincent Moon / Petites Planètes on Vimeo.

Da página do Pethit:

Há cinco anos, quando criou o site La Blogothèque, o cineasta francês Vincent Moon reinventou a maneira como se filmava vídeos musicais. Em séries batizadas de Take Away Shows (Concerts a Emporter), ele registrou artistas como Arcade Fire, R.E.M., Phoenix, Lykke Li, Bon Iver e Beirut ao vivo, em lugares pouco usuais de suas cidades, no estilo cinema verité – criando uma linguagem que inspirou sites similares ao redor do mundo, como o brasileiro Música de Bolso.

O cantor e compositor paulista Thiago Pethit é o primeiro brasileiro a ganhar uma série feita por Moon. Para filmar os vídeos das canções ‘Mapa-Múndi’, ‘Forasteiro’ e ‘Não Se Vá’, do álbum ‘Berlim, Texas’, Pethit e o cineasta levaram um piano para cima do Minhocão, em São Paulo, em uma tarde de domingo, em novembro de 2010.

O Take Away Show de Thiago Pethit pode ser visto em: http://www.blogotheque.net/2011/08/29/thiago-pethit/

amor  ·  arte  ·  cinema  ·  fotografia  ·  música

nightwalker, de thiago pethit

por   /  29/03/2011  /  13:43

E, com vocês, o clipe mais lindo do mundo!!

O cantor Thiago Pethit lança hoje (29) o videoclipe da canção Nightwalker, parte de seu álbum de estréia, Berlim, Texas, lançado em março de 2010.

Usando um vestido prateado que remete ao figurino icônico usado por Sônia Braga no longa-metragem Eu Te Amo (1981), de Arnaldo Jabor, a atriz Alice Braga é registrada em um único plano-sequência, nas ruas do bairro de Higienópolis, em São Paulo.

Produzido pela ParanoïdBR e gravado durante uma madrugada de fevereiro, o vídeo tem direção de Vera Egito (realizadora dos premiados curtas-metragens Elo e Espalhadas pelo Ar e do videoclipe de Cangote, da cantora Céu) e Renata Chebel (diretora do clipe de Mapa-Múndi, de Pethit).

O figurino de Alice – assim como os trajes dos 11 figurantes que participam do vídeo – é assinado por Flávia Lhacer e Carla Boregas (Debbies). A direção de fotografia é de Will Etchebehere.

Na quinta-feira, a partir das 19h30, o elenco e a equipe comemoram o lançamento em uma festa aberta no bar Volt. O evento terá discotecagem das diretoras, além do DJ residente da noite.

amor  ·  arte  ·  cinema  ·  música

queremos mais thiago pethit no sesc!, por mariana rezende

por   /  03/02/2011  /  13:49

Continuamos na campanha “Queremos mais Thiago Pethit no Sesc, cantando Lou Reed!”

Leiam a entrevista que a Mariana Rezende, nossa querida @marildinha, fez com o cantor, aproveitando que hoje tem show dele no Sesc Pompéia, junto com os maravilhoso do Letuce!

Queremos mais Thiago Pethit no Sesc, cantando Lou Reed, por Mariana Rezende

Aproveitando que hoje tem show do Pethit no Sesc, segue o apelo “Thiago Pethit cantando Lou Reed”. Dessa vez o pedido é meu (marildinha etc). Minha contribuição pra campanha foi fazer uma mini-entrevista com o Thiago e saber um pouco sobre sua preparação para encarnar o ídolo de uma geração, Lou Reed.

Já vi Pethit no palco tantas vezes e em todas elas me emociono muito. Tietagens de amiga à parte, dessa vez ele me impressionou ainda mais, desde a leveza com que representou o papel de Reed até a força da sua identidade como cantor que cresce à cada apresentação. A paixão de Thiago pelo que faz é transparente e sempre estimulante, dá pra notar isso nas suas respostas:

Como começou essa história de cantar Lou Reed no Sesc?

O convite veio através do Sesc. Primeiro mandaram um email perguntando minhas influências e sempre que me perguntam isso, eu faço uma lista nova. Por sorte, naquele dia, eu decidi incluir o Velvet Underground e o Lou Reed.

Logo chegou o convite e a sugestão de que eu fizesse o show com as músicas do Lou.

E a escolha do repertório?

Já havia me passado pela cabeça, diversas vezes fazer algum cover de uma música do Lou. Mas são clássicos já tão revisitados que não me pareceu uma boa idéia. Ter a chance de tocar todas essas músicas em um só show e com a desculpa de ter sido convidado para fazê-lo, me deu 70% da segurança necessária para encarar essas canções.

Então escolhi essas 10 canções do Lou com o coração. Seriam todas as canções que eu gostaria de fazer mas não sentia que podia tocar sem uma “permissão” alheia. Revisitar os clássicos mais difíceis.

Conta um pouco sobre os ensaios e sobre encontrar o tom grave da voz do Lou Reed.

Decidimos nos ensaios manter todas as músicas em seus tons originais (embora fossem bastante graves pra mim, em geral) e com os arranjos mais próximos possíveis das gravações. Queria as semelhanças se dessem sem imposição de uma linguagem minha sobre a obra dele, mas sim o contrário. Estudei cada intenção e busquei “cantar” menos o possível. Estudei seus personagens e queria apenas recontar as histórias com as intenções que ele havia dado ou com as que eu havia entendido. E percebi durante os ensaios, que embora o tom das músicas fossem bem dificeis pra mim, nossas vozes timbravam muito parecidas!

Me dei liberdade apenas de mexer em uma canção. “I´ll be your mirror” – o tom era grave e adequado para a Nico. Mas a intenção leve, suave e doce teve que ser em notas mais altas para mim e com um arranjo quase crú nas oitavas mais altas do piano. Como uma caixinha de música.

E sobre interpretar Lou Reed?

Permitir que as nossas semelhanças e diferenças falassem por si só foi o mais divertido e o maior desafio pra mim.

amor  ·  arte  ·  design  ·  música

queremos mais thiago pethit no sesc!, por vera egito

por   /  26/01/2011  /  17:00

E vamos dar continuidade à campanha “Queremos mais Thiago Pethit no Sesc, cantando Lou Reed!”

O depoimento de hoje é da querida Vera Egito, cineasta e rainha do emoticon:

O Thiago é mesmo uma coisa! A sensação era essa de presenciar algo importante, bonito demais. Porque o Pethit se encontrou fazendo música e dá pra ver e sentir isso quando assistimos a ele no palco.Lou Reed, Cazuza, Dylan, Cohen. Meninos lindos que fizeram a trilha das histórias de tantas pessoas. O Thiago é assim, é um deles no nosso tempo. E esse show tem quer ser repetido, certamente.Dessa vez no Pompéia (podia ser, né!). Com espaço pra dançar, pra se juntar aos amigos ao lado. Cantar junto, dar as mãos. Coisa linda esse Thiago Pethit…

A foto é do Eduardo Gabriel, de novo

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  música

queremos mais thiago pethit no sesc!

por   /  24/01/2011  /  13:30

O Velvet Underground mudou a minha vida. A frase é hiperbólica pra combinar com a fase em que isso aconteceu, a adolescência. Foi graças a Lou Reed e companhia que eu tive aulas sobre música, amor, dor, vício, exagero.

Terça-feira passada, Thiago Pethit subiu ao palco do Sesc Consolação para interpretar músicas de Lou Reed. O projeto “Ingressos Esgotados” consistiu em  reunir artistas daqui para interpretar músicas de artistas gringos que passaram pelo Brasil no ano passado e viram seus ingressos consumidos vorazmente pelos fãs.

Quando o Pethit começou a cantar, me emocionei. Já vi alguns shows desse amigo querido, mas ali no Sesc ele era Lou Reed encarnado. A voz, a postura, o figurino, tudo foi pensado para que aquela noite fosse histórica. Percebi como Pethit não é apenas um cantor, mas um artista: vestiu seus músicos com cores primárias, assim como fazia Andy Warhol (e muito antes do Restart, como ele fez questão de dizer, rindo), chamou a maravilhosa Renata Bastos para ser sua Candy Darling, passeou pelo repertório de Lou Reed com uma segurança e uma alegria impressionates!

200, 300 pessoas presenciaram esse momento sensacional,o que é muito pouco para a grandiosidade do que aconteceu ali. Por isso, começo aqui uma campanha: Sesc, por favor, faz uma temporada do Thiago Pethit cantando Lou Reed! Muita gente quer ver, muita gente merece ver. Ao longo da semana, amigos queridos que estiveram no show também vão contribuir para a campanha! Fiquem ligados  =)

As fotos lindas são do Eduardo Gabriel

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  música

mapa-múndi, de thiago pethit

por   /  26/08/2010  /  10:41

A coisa mais linda que você verá hoje e nos próximos dias é o clipe de “Mapa-múndi”, do Thiago Pethit, com direção da Renata Chebel. Amor, delicadeza, poesia, lugares lindos e uma fotografia sensacional compõem o clipe, que foi gravado em um monte de lugares, de São Paulo a Berlin! Fico tão feliz de ter “apresentado” esses dois amores tão, mas tão talentosos! ♥

Me escreva uma carta sem remetente
Só o necessário e se está contente
Tente lembrar quais eram os planos
Se nada mudou com o passar dos anos
E me pergunte o que será do nosso amor?

Descreva pra mim sua latitude
Que eu tento te achar no mapa-múndi
Ponha um pouco de delicadeza
No que escrever e onde quer que me esqueças
E me pergunte o que será do nosso amor?

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  música