Favoritos

a amizade nos tempos da internet

por   /  25/06/2009  /  1:29

onlinefriendship

eu tenho “amigos da internet” desde os anos 2000. eles costumam ter blog, twitter, estão em todas as redes sociais. alguns são nerds. outro são the average guys. não são psicopatas, seqüestradores ou golpistas, como podiam pensar nossa famílias, ainda no começo da década, quando dizíamos “ah, onde conheci fulano? na internet!”.

eles são de carne, de osso e de abraços. conheço a expressão de alegria de cada um _ouvi inúmeros momentos de tristeza de tantos outros. conheci vários pedacinhos que fazem cada um deles ocupar um lugar tão grande no meu coração. e vice-versa. sempre.

eles são parte da minha vida. assim como o são vocês aí _e quem sabe que é, sabe. carne, osso e cervejas “de verdade”. colo quando o choro não se agüenta sozinho no chão do quarto. ouvidos em qualquer momento, ao vivo, por e-mail, por sms ou pelo celular _momento em que contas homéricas acabam aceitas como uma conseqüência inevitável de uma distância puramente física.

não nasci com internet. não sei o que é digitar o meu nome antes de copiá-lo várias vezes a partir daquela letra da professora. e eu lembro que tia amélia, minha professora do jardim dois, tinha uma letra linda, toda desenhada. e numa marcador de texto enfeitado por uma possível borboleta, tinha lá meu nome. só três nomes, ante os quatro nomes do meu irmão _o que me fazia querer ser conhecida como daniela antônia em um dado momento da minha vida (q?).

cresci quando a internet era mirc, icq, cadê? e umas páginas como a de chico buarque, que eu acessava para ler as letras das músicas que ouvia desde que nasci. a internet eram várias conversas de oi-como-é-seu-nome-de-que-tipo-de-música-você-gosta?. música, por muito tempo o assunto que definia o futuro de uma amizade. ou o fim prematuro dela. foi assim que conheci vários “amigos de internet”. foi assim que várias conversas triviais se transformaram em conversas do coração.

e foi com uma grande “amiga da internet”, ao som de neil, chan e ella, que eu descobri quase agora que existem amigos fita k7: são aqueles que você pode deixar de ver ou de conversar por um tempãaaaao, mas, assim que os reencontra, é como se você tivesse parado naquele ponto da fita. e tudo recomeça outra vez. tudo é familiar, tudo é conhecido, mesmo que seja novidade. tudo dá uma sensação de que você esteve sempre ali, por mais que tenha estado distante. tudo é compreensão e conforto, carinho e amor.

e aí vocês me perguntam “o que é o amor para você hoje?”. e é simplesmente isso. amor são amigos fitas k7 _que fazem aquele ruído, aquele chiado, que são a trilha de quem a gente é e que enchem o coração da gente de alegria numa noite friiiiiiiia de inverno.

—————

a imagem que ilustra tudo isso é de mark arauz

21 Comentários Deixe seu Comentário

  • Ana • 25.06.2009 @ 02:49 responder

    amei a analogia com a fita K7!

  • Fábio Shiraga • 25.06.2009 @ 03:05 responder

    Hoje eu reencontrei um amigo que não via há tempos! Nos primeiros segundos parece estranho, o que falar depois de meses sem se ver, mas logo em seguida volta toda aquela brodagem dos tempos em que nos víamos sempre.

    Eu costumava citar o Renato Russo que falava que tinha muitos amigos em Capricórnio quando isso acontecia, que era exatamente o que você definitiu como o amigo fita k7. Vou usar as duas expressões à partir de agora.

    Não sei se feliz ou infelizmente com esta vida corrida e fora de equilíbrio a gente passa a ter mais e mais amigos fita k7.

    Adorei o post. As palavras valeram mais do que mil imagens.

  • ana • 25.06.2009 @ 09:19 responder

    uau! foi lindo…
    vou copiar o link e mandar pra todos os meus K7 !!!
    (claro que dou o crédito!)
    beijos

    ps – tô sentindo falta de miguxtapes aqui…
    (sem pressão)

  • raquel • 25.06.2009 @ 10:50 responder

    tb sou dos tempos do mirc, do icq, da vontade voraz de papear até altas horas e puxar a conversa pra vida real, que seguia a mesma intensidade.

    hoje “falta tempo” mas não falta a vontade. é meio isso mesmo, fita k7! belo post, dani!

  • Manu • 25.06.2009 @ 10:57 responder

    Ontem, depois que saístes lá de casa, tive dificuldade pra dormir pensando como sou sortuda.
    Sou do tempo que amizade de internet era bicho de sete cabeças. E, hoje, 100% dos meus melhores amigos conheci através da internet. Mas também teve muita maçã estragada nesse cesto.
    E você ficou. 9 anos, Dani. 9 anos. Não são 9 dias, nem 9 meses, nem aquele filme horrível (mas a analogia cabe aqui), 9 canções. é muito reconfortante saber que tenho em ti uma amiga fita k7. e que – eu sei – vai ser sempre. porque, como disse tua amiga, não mudastes nada. continuas a mesma menina de sorriso doce, sentimentos compartilhados (bons e ruins), conversas longas e heart of gold.
    E amor, pra mim, é ter a oportunidade de dividir tudo isso contigo numa noite de inverno. E saber que ainda tem muito chão pela frente, que a Chan continuará gravando discos antológicos, e que quero que tu esteja segurando minha mão quando a gente assistir o véio Neil ao vivo. E, sim, isso é uma grande declaração de amor. :~

  • marta • 25.06.2009 @ 11:08 responder

    hahahaha fiz um post com o mesmo tema essa semana :P

    gostoso, né? como um meio de comunicação faz a gente encontrar pessoas que podem até mudar nossas vidas. adoro!

  • Juli • 25.06.2009 @ 12:50 responder

    oh, minha vidinha aí.
    as pessoas acham curioso ainda hj qd digo que conheci 90% dos meus amigos na internet, naquela internet do cadê?, do mirc. na internet de 1998.
    esses amigos se tornaram melhores amigos. esses que gostavam do mesmo tipo de música, da mesma matéria do colégo, que foram fazer a mesma faculdade.
    ex-paqueras que viraram amigos de fé, irmãos camaradas.:D
    logo depois a internet virou um lugar perigoso. e de um tempinho pra cá fui redescobrindo lugares seguros e pescando pessoas queridas. if you know what i mean.:)

  • Joana • 25.06.2009 @ 14:46 responder

    Quase fiquei com vontade de ter te conhecido pela internet de tao lindo ;) A gente pode ser amigo fita K7 se se fala quase todo dia ha mais de 4 (5?) anos também?
    <3

  • Ivo Mortani • 26.06.2009 @ 09:46 responder

    Post lindo e inspirado. Parabéns! E se eu pudesse definir o amor hoje, tb definiria que o amor são amigos fitas k7.

    Grande beijo!

  • Veronica • 28.06.2009 @ 16:19 responder

    E ainda dizem que amor de internet não existe! Meu amor de internet já chegou na vida real, e realmente o único triste é a distância física, no meu caso, internacional. Mas como diz uma música do uruguaio Jorge Drexler: “Si hay amor me dijeron, toda distancia se salva”.
    Parabéns por um post tão lindo e inspirado!

  • Marcela Ortolan • 28.06.2009 @ 23:08 responder

    Amigos fita K-7.

    Muito boa definição!

    Também já tive a felicidade de ter feito muitos amigos pela net… e de continuar fazendo…

    um grande abraço

  • Luiza Voll • 29.06.2009 @ 20:00 responder

    Que linda, tinha perdido esse! arrasante, I luv u!

  • fernanda • 29.06.2009 @ 21:52 responder

    AI QUE COISA MAIS FOFA SENSÍVEL QUERIDA!

  • joaquim • 27.12.2009 @ 14:39 responder

    Obrigado pelo texto.
    De coração.

Deixe seu comentário