Favoritos

#asmúsicasdeamor: Laure Briard

por   /  05/10/2017  /  8:08

Lauree

A cantora francesa Laure Briard esteve recentemente no Brasil. Aproveitei pra conversar – e pra pedir a ela uma lista de suas músicas de amor. Não encontrei todas no Spotify, daí juntei com algumas de sua própria autoria.

Sua música é classificada como “yeyé psicodélico” e sua trajetória começou em 2005, nos conta o Coquetel Molotov, que trouxe a turnê para o Brasil junto com o Benke Ferraz, do Boogarins. E continua: o primeiro EP veio em 2013, com ajuda de Julien Barbagallo, do Tame Impala. Dois anos depois, lançou “Révélation”, com inspiração na música dos anos 1960 e do indie rock dos 1990. Em 2016, vieram “Sur La piste de danse” e “Sorcellerie”.

Me descobri cantora tarde. Gostava de música desde a adolescência, fiz aulas de bateria aos 16. Eu cantava só por diversão. Minha praia era mais a arte dramática, eu queria ser comediante. Fui para Paris com a escola de teatro e, quando voltei para Toulouse, minha cidade natal, foi quando comecei a fazer música com meu ex-namorado. Ele havia composto algumas letras, achava minha voz legal, então comecei a tentar a cantar. E foi assim que começou.

Cantar todo dia é um hábito pra mim. Eu posso passar o dia fazendo isso, mesmo que sejam umas canções bem porcaria, às vezes…

Música significa emoção. Eu sinto tantas coisas quando ouço uma música que eu amo. Isso é muito poderoso. Talvez mais do que um filme. Como cantora e compositora, encontro minha forma de expressão. Isso começou realmente depois do fim de um relacionamento. Eu tinha tanta coisa para dizer naquele momento. A música me ajudou demais, e ainda faz isso.

Quando coloco minha música no mundo, só espero proporcionar emoção às pessoas, ou espalhar alguma vibe boa. Fazer as pessoas dançarem, chorarem, terem esperança. Se eu pudesse rodar o mundo para conhecer essas pessoas seria ainda melhor!

Ouçam a playlist! #trilhadonttouch

Deixe seu comentário