Favoritos

Posts da categoria "amor"

Tirando a poeira

por   /  28/07/2014  /  20:20

Isa Hoffman Hansen

Deu saudade de fazer mixtape. Daí abri o Rdio, resolvi ouvir o Chet Faker, gostei. Misturei com Blood Orange, Mount Kimbie. Resgatei um “Real Love” no remix do Paradise Garage. Depois fui para uma vibe completamente oposta: Chris Isaak e Del Shannon.

Ficou gostosa, viu? Pra dançar na pista, depois no bailinho.

A foto é da Isa Hoffman Hansen.

Ouçam!

amor  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  mixtapes

1 dor profunda de amor

por   /  11/07/2014  /  9:09

hony

O Humans of New York me emociona a cada post.

O de ontem foi de cortar o coração:

“We were twenty-five and twenty-eight, but we acted like fifteen year olds. Fighting over little things, storming off, breaking up for a week and then getting back together. But developmentally, we were fifteen year olds. We’d been in the closet our whole lives, so we didn’t have any practice with relationships. He still hadn’t come out to his family and a lot of his friends. We were on one of our ‘little breaks’ when he died suddenly from a seizure. And nobody in his family or circle knew I existed. It took me four months to find out that he died. I thought he’d just decided never to talk to me again. His family never found out about me. Or him, for that matter.”

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  internet  ·  nova york

1 clipe novo do Christopher Owens, ex-Girls

por   /  10/07/2014  /  15:15

chrisowens

Gosto tanto do Christopher Owens, o cara que tocava na banda Girls, que fiquei bem feliz de saber que ele vai lançar um disco novo!

“Nothing more than everything to me” é o primeiro clipe do disco “A New Testament” e junta pré-adolescentes muito fofos em um bailinho da escola, com toda a expectativa que antecede esse grande dia.

Pra completar, vale ver as fotos de bastidores do clipe na Rolling Stone > http://www.rollingstone.com/music/pictures/behind-christopher-owens-nothing-more-than-everything-to-me-video-20140709/0769712

E ler a entrevista que o cantor deu ao Pitchfork, falando de se reunir novamente com os companheiros de banda, largar as drogas, encontrar um amor e seguir em frente > http://pitchfork.com/features/update/9451-christopher-owens/

Yeah, it’s a relationship I can’t place a value on. We’re very different people: in upbringing, in habits, in the way we both cook, the books we read, the music we like. Maybe I see something in her that I think is wonderful and wish I could’ve been like that myself. At the same time, I don’t. I’m not a person with regrets. But I can definitely see the benefit of having somebody like that in my life. I mean, I could’ve had somebody more like myself in my life for this period of time and been pushed along down my own paths, my own devices—if that was the case, Father, Son, Holy Ghost might not have even come out. From the beginning, she has kept me aware without judging, without ever saying, “This is an ultimatum,” or, “You have by this date…” She’s never even been rude to me about it when my priorities were completely out of whack. From the beginning, we liked each other for who we were, and it’s always been that way. As time goes by, we’ll remain different people, but we’ll remain essential to one another.

Mais em > https://www.facebook.com/christopherowensonline

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  música  ·  viagem

Minha Carta de Amor

por   /  06/06/2014  /  13:13

Cartas de amor são ridículas. E indispensáveis. Nos ajudam a nos reconhecer, a sabermos quem fomos, o que sentimos, como queremos ser daqui pra frente.

E se você pudesse escrever uma carta de amor sem destinatário certo? Uma carta contando o que de mais forte e importante você aprendeu depois de amar uma, duas, dez vezes?

Minha Carta de Amor é um convite para que vocês escrevam o que aprenderam com o amor até hoje.

Queremos ouvir histórias, queremos nos ver na escrita de outras pessoas, na sensações que elas tiveram e que nos parecem tão familiares. Queremos que o sentimento de um reverbere no outro. Ou que, simplesmente, cada narrativa seja acompanhada com entusiasmo, como se fosse um livro que a gente não consegue largar ou um filme para o qual desejamos uma continuação.

Usem a hashtag #minhacartadeamor ou enviem suas cartas para minhacartadeamor2014@gmail.com.

Aos poucos, vamos escolher as cartas, que terão trechos caligrafados pelo Fabio Maca. O resultado vamos postar no perfil @minhacartadeamor no Instagram.

Vamos começar? ♡

Sigam a gente no Instagram > http://instagram.com/minhacartadeamor

Concepção: Daniela Arrais e Fabio Maca | Caligrafia: Fabio Maca | Textos: Daniela Arrais | Fotos: Pedrinho Fonseca

Séculos Apaixonados

por   /  21/05/2014  /  9:09

Vira e mexe ouço alguma coisa eletrônica muito legal vinda do Rio de Janeiro. Tem aquela malemolência, um humor, uma batida gostosa que faz você clicar no Soundcloud e passar a tarde inteira ouvindo as mesmas duas músicas em looping.

Foi assim com Séculos Apaixonados, uma banda formada por Gabriel Guerra, Lucas Paiva (do Opalahttp://donttouchmymoleskine.com/entrevista-opala-maria-luiza-jobim/), Felipe Vellozo, Arthur Braganti e João Pessanha, que já passaram ou estão em bandas como Dorgas, Mahmundi, Letuce, Baleia, Epicentro do Bloquinho (aliás, que nome!).

Eles usam a tag #motel pra descrever as músicas “Um Totem do Amor Impossível” e “Só no Masoquismo”. E vai bem por aí mesmo, viu? Uma delícia!

Mais em > https://www.facebook.com/seculosapaixonados

(Via Maria Clara Drummond, que já apareceu por aqui > http://donttouchmymoleskine.com/a-festa-e-minha-e-eu-choro-se-eu-quiser/)

amor  ·  fotografia  ·  música