Favoritos

Posts da categoria "amor"

despedida

por   /  25/01/2008  /  14:50

a família de heath ledger escreveu uma linda e triste despedida em um jornal australiano. eu gostava dele. fiquei emo com a morte que parece num ter sido proposital…

o pai, kim, escreveu:
“‘Heatho,’ ‘Beef,’ . . . my beautiful boy, so loving, so talented, so independent, so caring, so young . . . no more chess games mate . . . this is it, couldn’t beat you anyway!

My body aches for the sound of your voice, our chats, our laughs and our life and times together.”

Your truly varied artistic skills, insatiable desire to improve and eclectic abilities set you apart from any other person on the planet . . . it had only just started for you … and for us to further enjoy. We were one, in soul and commitment. Just . . . Father and Son. I will love you forever, Dad.”

a mãe, sally:
“Our darling boy, special in so many ways to all of us. You knew you were so loved. You lived life with courage and daring and we are so grateful for the wonderful times we shared. We will be there for Matilda. Your loving Mamma, Rog and Ash.”

A irmã mais velha, Katie:
“I can hardly breathe when I try to write this. We were the ultimate in soul mates. I feel both my heart and life have been torn apart. I loved our special talks, our daily chats from where ever you were in the world.

I especially loved all the precious time we spent together. We were so fortunate to have you as long as we did. You were so many things to so many people, but to me you were just my little brother.

There will never, ever be another “Heath” and I think that in itself is the greatest tragedy.

I will continue to talk with you everyday and love you just as if you were here. You will never leave my thoughts “Roast”, ever.”

a irmã mais nova, olivia:
“You’re my idol, my hero, but most importantly, my loving big brother. I’ll treasure every moment we spent together. I love you Heath, I miss you and pray every night you’re safe.”

a família toda escreveu:
“How do we describe our sudden and tragic loss? … You were the most amazing individual “old soul” in a young man’s body.

You so loved us, as we dearly loved you. As a close knit and very private family unit we have observed you so determined yet quietly travelling in your self-styled path in life, nothing would get in your way … no mountain too tall, no river too wide.

You dreamed your dreams and lived them with passion and intelligent commitment. We have been privileged to accompany you on a ride through life that has simply been amazing and through it all, we have loved each other beyond imagination.

Your true legacy lives on in beautiful little Matilda, who will always remain in the greatest of care. Our hearts are broken . . . Dad and Ines, Mum and Roger, Kate and Nathan, Rori and Scarlett, Ashleigh, Olivia, Elana and Nadia.”

via perez hilton

contra todo e qualquer mal

por   /  23/01/2008  /  21:55

inventaram uma coisa que eu, você e todos nós já quisemos na vida: happy pills. “contra segunda-feira”, “contra a insustentável leveza do ser”, contra qualquer coisa na vida que lhe aperreie. a loja fica em barcelona. você entra, pega uns brebotes e escolhe a prescrição que mais combina com seu estado de espírito. genial, né?

amor  ·  design

cha cha

por   /  18/01/2008  /  17:48

nem posso dizer que billie holiday sabia das coisas, porque a bichinha sofreu demais, era submissa a ponto de não se importar com uma marca de batom no colarinho do cônjuge. mas, porra, “don´t explain” redime qualquer coisa, está no top das melhores músicas do mundo. e, agora, ganha versão da minha musa cat _tão clássica quanto, eu digo, sem medo de ser hiperbólica. fechem os olhos (até porque não dá pra ver nada) e ouçam:

amor  ·  música

construção

por   /  07/01/2008  /  19:06

rita lee, em build up, não só está gorgeus como com o coração partido. serve de trilha perfeita para almas em desalento. 

SINTOOOOO, mas tudo que eu quero
é só FUGI-I-I-I-I-R de você
calma, calma baby
a vida é tão LONGA-A
calma, calma baby

é que EU,
EU quero esse lindo sol
e eu NÃO VOU MAIS
viver ao lado de NINGUÉM

bye, bye
aqui eu me DESPEÇO
bye, bye
não vá se aborrecer, não
bye, bye
aqui eu me DESPEÇO

amor  ·  música

fragmentos

por   /  07/01/2008  /  10:46

o amor ti deixa em cacos
metade da mesada em fichas
todos os corações ocupados

——————————

pavor que tenho
é de amor sem susto

——————————-

onde lia-se desejo
leia-se despejo

não quero mais essa vertigem de vogais
– tantos ais –
como se fossem consoantes

de ledusha

por   /  29/11/2007  /  17:33

Segunda leitura: o protagonista descobre que a mulher ao seu lado é a própria ilha desconhecida que ele procurava e que a verdadeira viagem é o encontro com um outro amado. Faz todo sentido, pois o amor e a viagem, em princípio, têm isto em comum: ambos nos fazem descobrir em nós algo que não estava lá antes. O outro amado nos transforma. Tanto quanto a chegada numa terra incógnita, ele nos revela algo inesperado em nós.

Por isso, aliás, o viajante e o amante podem esbarrar em problemas análogos: às vezes, ao sermos transformados pela viagem ou pelo amor, não gostamos do que encontramos, não gostamos dos efeitos em nós do amor ou da viagem. Essa é, em geral, a única razão séria para se separar ou para voltar da viagem.

Moral dessa coluna (e talvez da fábula de Saramago): os outros não são nenhum inferno, são uma viagem. Agora, para amar, como para viajar, é preciso ter determinação e coragem.

ele

amor  ·  analyze this