Favoritos

Posts da categoria "amor"

padrão de comportamento

por   /  15/04/2013  /  16:32

Padrão de Comportamento junta as paixões de Karina Nobre e Carla Chagas, que gostam de escrever e desenhar estampas, respectivamente.

O resultado são estampas que acompanham textos, ou textos cujas “capas” são estampas. Muito legal!

Acompanhem > http://padraodecomportamento.tumblr.com/

Para a imagem que abre o post, o texto abaixo:

Antônia nunca matou ninguém de tédio. De susto, já enterrou dois maridos. Nunca pensou em ter filhos, mas às vezes se sente invadida por um instinto maternal incontrolável e chora. Ela adora visitas e detesta marca de batom nas taças de vinho. Gosta de Charles Bukowski e da Meg Ryan. Já faz 6 meses, sua analista começou a tomar remédios para ansiedade.

Antônia nunca matou ninguém de tédio. De susto, já enterrou dois maridos. Nunca pensou em ter filhos, mas às vezes se sente invadida por um instinto maternal incontrolável e chora. Ela adora visitas e detesta marca de batom nas taças de vinho. Gosta de Charles Bukowski e da Meg Ryan. Já faz 6 meses, sua analista começou a tomar remédios para ansiedade.

Berenice, por nunca acreditar em nada, nem mesmo no que seus olhos veem, desenvolveu uma hipertrofia crônica da visão paralela. Ela sabe que as pessoas só são relativamente verdadeiras quando não estão sendo observadas e prefere mirá-las de forma lateral. Um homem estranho a observa de longe. O que estará fazendo ali parado? Por que me olha assim? Numa conversa, Berenice não está atenta apenas ao que diz o interlocutor, mas em suas intenções. Tudo que é dito é memorizado por Berenice, que ao chegar em casa, confere no google a veracidade das informações. Sempre com uma pulga atrás da orelha, porque, cá entre nós, não dá pra confiar no google. Berenice aceita tudo, menos ser enganada.

amor  ·  arte  ·  design  ·  internet  ·  literatura

existe vida além do trabalho?

por   /  28/03/2013  /  17:23

Da fanpage da Contente:

Existe vida além do trabalho? Em ótimo texto no New York Times, Erin Callan fala como passou quase a vida inteira focada apenas na carreira e como precisou passar por uma crise econômica gigante (ela trabalhava no Lehman Brothers) pra se ver forçada a mudar a sua forma de viver.

Importante para todos nós que procuramos o caminho do equilíbrio!

Leiam > http://nyti.ms/15WD7xG

amor  ·  auto-ajuda  ·  design  ·  trabalho

vivendo com menos. bem menos

por   /  13/03/2013  /  9:15

Graham Hill vive em um apartamento de menos de 40 metros quadrados, dorme numa cama que sai da parede, tem seis camisetas e 10 tigelas que usa para servir saladas e pratos principais. Não tem CDs ou DVDs e dos livros que já havia acumulado, sobraram 10%.

Depois de anos consumindo tudo o que queria (e muito do que nunca quis), viu que tinha duas casas gigantes e cheias de coisas, de eletrônicos a gadgets, passando por carros, e percebeu que as coisas que ele consumia o haviam consumido.

No artigo Living With Less. A Lot Less, o criador do Life Edited conta como descobriu que esses excessos não o preenchiam. Foi quando se apaixonou por Olga que a relação dele com as coisas materiais se desfez. Eles foram pra Barcelona, quando o visto dela expirou, viveram em um apartamento pequeno, na base do amor. Com algumas roupas, produtos de higiene pessoal e um par de laptops, pegaram a estradam e viveram em Bangkok, Buenos Aires e Toronto, fazendo várias paradas no meio do caminho. Ele continuou trabalhando e criou empressas como o Tree Hugger.

Minha vida era cheia de amor e aventura e de trabalho com o qual eu me importava. Senti-me livre e eu não senti falta do carro, dos gadgets, da casa, em vez disso, senti que tinha parado um trabalho sem fim. A relação com Olga eventualmente terminou, mas a minha vida nunca mais pareceu a mesma. Eu vivo com menos e viajo mais leve. Tenho mais tempo e dinheiro. Além do meu hábito de viajar – que eu tento manter sob controle, minimizando viagens, combinando outras e comprando créditos de carbono – sinto-me melhor porque minha pegada de carbono é significativamente menor do que na minha vida anterior supersized. Intuitivamente, sabemos que as melhores coisas da vida não são coisas, e que relações, experiências e trabalho significativo são as bases de uma vida feliz.

Leiam o texto completo > http://nyti.ms/WlYAPj

______________________________________________________________________________

Em 2011, fiz uma matéria pra Galileu sobre o assunto! > http://donttouchmymoleskine.com/viver-com-menos/

amor  ·  auto-ajuda  ·  design  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  trabalho  ·  viagem

daniel johnston

por   /  07/03/2013  /  10:54

Sabe um daqueles shows que você acha que não vai ver na vida? O do Daniel Johnston era um deles. Sendo que isso vai mudar no sábado, quando o artista se apresenta no Beco, em São Paulo, em mais uma edição do Popload Gig.

Daniel Johnston fez “True Love Will Find You in the End”, e só por isso justificou a existência de uma vida inteira.

Enquanto escrevia esse post, o Palugan me avisou: o show foi cancelado  🙁

Do Popload:

O risco era grande e existia. O genial e cultuado artista Daniel Johnston, que se apresentaria no próximo sábado no Beco 203, em mais uma edição do festival Popload Gig, não conseguiu embarcar para a América do Sul na noite de ontem. Johnston, herói do underground americano, que há anos sofre de transtorno bibolar e esquizofrenia, desembarcaria primeiro no Chile para um show hoje, tocaria ainda na Argentina amanhã e depois viria a São Paulo. O músico, que vive sempre recluso mas nos últimos tempos arriscou uma volta bastante comentada aos palcos, chegou a ir ao aeroporto de Houston e teve as malas despachadas para Dallas, onde faria conexão à América Latina. Mas, confuso, aparentando insegurança e com febre, demoveu seu agente da ideia de embarcar.

Nos resta, então, assistir de novo ao documentário “The Devil and Daniel Johnston”, que mostra a luta dele contra a esquizofrenia e o transtorno bipolar, enquanto escreve e compõe suas genialidades, como se buscasse redenção ♥

The Devil and Daniel Johnston (El Diablo y Daniel Johnston – Jeff Feuerzeig, 2005) from Tlatoani Ortíz on Vimeo.

Abaixo, o cartaz de Eduardo Belga pro show que não vai mais acontecer agora.

amor  ·  arte  ·  cinema  ·  design  ·  fotografia  ·  música