Favoritos

Posts da categoria "amor"

falo de mulher

por   /  19/03/2013  /  8:41

Ivana Arruda Leite é uma das minhas escritoras preferidas, como vocês sabem (quem não viu a entrevista que fiz com ela, por favor veja! Aqui, ó > http://donttouchmymoleskine.com/cafofo-sessions-4-ivana-arruda-leite/).

Um dia estávamos jantando e conversando. Quando falei que só tinha lido os romances dela, ela virou pra mim e disse: “Então você não me conhece!”.

No dia seguinte, ela deixou quatro livros na portaria do meu prédio. E a cada um que leio, a surpresa é maior.

“Falo de Mulher”, seu livro de estréia, lançado em 2002, é de uma urgência absurda para quem todo mundo que gosta de linhas apaixonadas, exageradas e precisas sobre relações amorosas.

Procurem o livro já! Tenho certeza que vocês vão amar!

Na imagem acima, o conto que abre o livro. Deu pra sentir como é sensacional, né? ♥

cafofo sessions #5: nina becker

por   /  14/10/2010  /  8:12

Antes de mais nada, gostaria de dizer que eu não tenho o menor talento para editar vídeos! Foi o que eu tentei fazer com esse Cafofo itinerante, gravado em agosto na Vila Madalena… E o resultado é apenas uma colagem dos melhores trechos, sem firula alguma…

Mas eis aqui Nina Becker, a maravilhosa cantora que lançou dois discos lindíssimos neste segundo semestre, o “Vermelho” e o “Azul”. Ela faz shows hoje e amanhã no Sesc Pompéia. Vi a estréia no Rio e, se fosse você, não perderia por nada!

Animem-se aí com a entrevistinha e com “Ela adora” tocada especialmente pro Cafofo!  =)

Lançamento dos álbuns “Azul” e “Vermelho” – estreia da carreira solo de Nina Becker

Teatro SESC Pompéia (Rua  Clélia, 93, Pompéia; Tel. 11 3871-7700)

Horários: dias 14 e 15 de outubro, às 21h

Ingressos: R$ 16 – inteira, R$ 8 – meia-entrada (estudantes e idosos), R$ 4 – comerciários

amor  ·  cafofo sessions  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  música

cafofo sessions #4: ivana arruda leite

por   /  06/09/2010  /  0:13

Ivana Arruda Leite é uma das pessoas mais lindas que já conheci na vida. Primeiro, encontrei um tanto dela no “Alameda Santos”, que eu devorei em uma noite de sábado. Depois, em “Hotel Novo Mundo”, que eu não queria acabar por nada, mas precisei fazê-lo tão rapidamente quanto o primeiro, porque a literatura de Ivana é urgente. Ela fala de amor, de vida real, de tudo que a gente procura e poucas vezes acha com tanta verdade e tanta intensidade.

Em junho, eu e Leal entrevistamos Ivana, e Romero e Léo, da Dulaya, gravaram mais uma edição do Cafofo Sessions. Fazia friiiiio, a gente tomava uma cervejinha enquanto conversava sobre literatura, influências, internet, amor, um monte de coisa. Foi uma tarde de sábado que começou no Bar do Biu, na companhia da querida Bebel, filha de Ivana, seguiu para nosso prédio em Pinheiros, que já guarda tanta história, continou na forma de uma conversa maravilhosa e depois ficou na cabeça por dias, porque tanta coisa dita ali faz tanto sentido, diz tanto sobre ela, sobre a gente, sobre todo mundo que vive de verdade a vida…

E então é isso. Aqui estamos nós com mais uma edição do Cafofo Sessions, que ganhou a edição mais linda dos últimos tempos! A gente espera que vocês gostem tanto de ver o Cafofo quanto a gente gostou de fazê-lo!  =)

Erramos uma letrinha: o agradecimento é para Rodrigo Levino

cafofo sessions #3: thiago pethit

por   /  21/03/2010  /  17:15

Thiago Pethit é o convidado da terceira edição do Cafofo Sessions! Desta vez vocês verão não apenas a entrevista feita aqui em casa mas também vão acompanhar a gravação externa que fizemos no Totem Estúdio. Pethit cantou “Sweet Funny Melody”, música de seu primeiro disco, e arriscou um “Bad Romance”, da Lady Gaga.

Na entrevista, ele fala sobre o seu primeiro disco, “Berlim, Texas”, e conta como começou a cantar, quais são suas influências, suas referências… Sabe aquele papo gostoso que você consegue ter com os amigos na banheira de casa? É essa a proposta  =)

Pethit lança seu disco de estréia na próxima quinta-feira (25/3), às 21h, no Sesc Vila Mariana. Eu, sendo você, iria ao show. E compraria o disco, que é de uma delicadeza absurda.

É caminho fácil falar que Pethit saiu dos palcos do teatro carregado do drama e da vivência que coloca em suas canções, inspiradas por Tom Waits, Beirut, Bertold Brecht. Mas mais fácil ainda é se deixar levar pela sinceridade que ele coloca em suas letras e pelo capricho com que ele conduz todos os detalhes de suas melodias.

Olhando aqui o “Berlim, Texas”, cujo projeto gráfico lindíssimo é assinado por Renan Costa Lima, percebo umas coisas engraçadas. Pethit não gosta de ficar parado, ele quer sair por aí para entender toda a vida que carrega dentro de si. Ele é “Forasteiro” porque quer desbravar o “Mapa-Múndi”. Mesmo que ele peça que você “Não Se Vá”, é ele quem faz a “Fuga Nº 1″.  No meio de tantas mudanças, de tantas viagens, ele faz “Outra Canção Tristonha” e te chama pra dançar “dreaming of a neon light”. Tem coisa melhor?

Deixando a bobagem de lado, Pethit me ganha porque fala de amor, com todo o entendimento de quem já passou pelas diversas fases ou pelo diferentes momentos que o coração é capaz de sentir. O que dizer  de “Sweet Funny Melody”? “You can break my heart in one or two or more than a thousand pieces / You can bring me down, you can take me high and fly and fly / Oh, boy we still have one last dance to dance /Let’s take it as a bet, let’s give us one last chance”  ♥

Suspiros, hein? E o que tanto busca este menino? Ouçam o disco e descubram. Mas antes vejam o Cafofo, que é mais uma parceria do Don’t Touch My Moleskine com a Dulaya! Depois me digam o que acharam, hein?

cafofo sessions #2: fernando catatau

por   /  09/11/2009  /  1:43

IMG_7102

e aí que eu me apaixonei pelo “uhuuu!”, terceiro disco do cidadão instigado. escrevi pro catatau e o convidei pra uma entrevista aqui no cafofo. nem acreditei quando ele chegou, escolheu bob marley de música de fundo e começou a conversar como se a gente se conhecesse há um tempão.

tímido que só, catatau falou sobre o disco, sobre as inúmeras parcerias que faz por aí, sobre como a música está nele desde sempre, do quanto se emocionou ao encontrar o skatista bob burnquist, sobre quanto a vida dele é aquilo que a gente escuta nos discos. de música a amor, passando por ceará, são paulo, arnaldo antunes, o homem velho neil young e diversas outras coisas, a gente se prolongou numa conversa enorme _e tão boa que ficou difícil de editar.

a talentosíssima equipe da dulaya foi responsável pela maior parte das imagens e pela edição impecável. como vocês verão a seguir, demos um passo enorme rumo à profissionalização da diversão caseira. e, sim, os vídeos são longos. porque nesses tempos em que tudo é rápido e instantâneo, faz bem a gente sentar pra conversar, abrir uma cerveja e deixar o papo fluir. sem pressa, sem compromisso, com olhos, ouvidos e coração voltados pra uma coisa só.

com vocês, cafofo sessions #2. espero que vocês gostem tanto de ver a entrevista quanto eu gostei de fazê-la   =)

amor  ·  cafofo sessions  ·  entrevistas  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  música

cafofo sessions #1: lulina

por   /  08/10/2009  /  13:27

lulina_cartaz_laurawrona

começa hoje mais uma seção esporádica deste blog: a CAFOFO SESSIONS, que consiste, simplesmente, em entrevistas na sala aqui de casa. quem inaugura a seção é lulina, cantora, compositora, olindense, retirante, publicitária e amiga do coração. a chamei aqui pra conversar sobre “cristalina”, seu primeiro disco oficial, que sai pela yb music.

o lançamento do disco ocorre amanhã, no mis (museu da imagem e do som; av europa, 158), em são paulo. depois de quatro longos anos, finalmente um público maior vai conhecer as maravilhosas canções de lulina. dos disquinhos toscos gravados no computador de casa até hoje, a trajetória foi intensa.

pra mim e pra vários amigos, é muito lindo ter este disco em mãos _ainda mais porque a arte é de juliângela, uma das pessoas mais talentosas deste mundo. a gente que viu lulina tocar em lugares pequenininhos, ainda com vergonha da própria voz, hoje vê uma mulher gigante, carismática e talentosa, que toca suas lindas canções acompanhada por uma banda maravilhosa, formada por léo, zé, firuba e pedro.

todos vocês precisam ouvir lulina, nem que seja uma vez na vida _o que eu duvido que aconteça. “meu príncipe”, “do you remember laura”, “bolhas na pleura” e mais diversas músicas dessa garota vão fazer seus dias mais felizes  =)

o cartaz aí acima foi feito por laura wrona; vejam as outras 12 artes feitas para o lançamento no blog da lulilândia

lulina

na entrevista a seguir, a gente conversa sobre disco, influências, lulilândia, internet e mais um monte de coisa.

agora, prestem atenção: eu nunca editei um vídeo na vida _até a madrugada de ontem. na verdade, só juntei um pedaço da entrevista com outro. então não reparem na tosquice, tá? agradeço a paula reis pelos créditos tão bonitinhos e a icaro matias e cecília torres pelos ajustes durante a correria.

espero que vocês gostem!  =)

amor  ·  cafofo sessions  ·  entrevistas  ·  especial don't touch  ·  música