Favoritos

Posts da categoria "amor"

querida cat power

por   /  08/11/2012  /  15:10

Querida Cat Power,

Estou preocupada com você. Você não me conhece, mas eu acho que te conheço profundamente.

Primeiro por conta das suas músicas que eu tanto amo e com as quais tanto me identifico em diferentes momentos da vida. Segundo porque acompanho sua vida pelo Instagram. E terceiro porque li uma biografia sua; não autorizada, é verdade, mas uma jornalista não ia mentir do começo ao fim. Sei que você era apaixonada pelo seu pai, que era músico e não deixava você brincar no piano, sei que você tem medo de ter esquizofrenia, como sua mãe. Sei também que o que você mais queria na vida era um amor que transformasse essa coisa de ser cantora num hobby, numa atividade esporádica, enquanto você ficaria em casa entre afazeres domésticos, cuidando dos meninos que não iam parar de brincar.

Há uma semana, te vi ao vivo. Acho que pela quinta ou sexta vez. Te vi no Tim Festival, no interior de São Paulo, em umas duas casas de show por lá. Dessa vez foi em Nova York, a cidade pra qual você escreveu “Manhattan” e já antecipou o que vou ouvir depois de morar aqui, fazer amigos, conhecer cada pedacinho e perceber que tudo muda muito rapidamente.

A casa estava cheia, antes de você entrar um cara do Occupy Wall Street falou sobre como a gente deve parar de procurar um herói quando se olha no espelho. Bob Dylan te dava as boas vindas através da caixa de som. Você entrou com seu novo cabelo moicano, descolorido, calça preta, jaqueta azul marinho, botas e uma canequinha que parecia de chá. Sua voz estava meio rouca, de quem está gripada e toma xarope e remédio há uns dias. O cenário era lindo, tinha um pedaço de um triângulo que recebia diversas projeções, ora com imagens de crianças, ora com desertos, ora com explosão de cores.

Você tentava cantar. E quando conseguia era tão bonito! Mas na maior parte do tempo você parecia brigar com o som, com você mesma. É como se você tivesse fazendo MUITO esforço pra estar ali. Nos seus olhos, a tristeza era tão grande que fez a gente chorar junto. As revistas sabem ser uma chatice, e uma delas nos contou que o seu ex-namorado casou com uma modelo quatro meses depois que vocês terminaram. Ninguém se recupera disso rapidamente. E a impressão que dá é que você voltou a ser a Chan de antes do “Jukebox”, a Chan dos excessos (de droga, de bebida?), que sempre deixava o público sem saber se o show seria maravilhoso ou uma porcaria.

O seu foi maravilhoso e muito triste. Você tem uma força enorme e emociona a gente quando faz uma versão parecida com a do disco pra “Manhattan” e outra quase irreconhecível pra “I don’t blame you”. Você reclama do som, é como se quisesse a perfeição na hora de se mostrar, pra que ninguém veja que você está em pedaços. Dá medo, porque parece que a qualquer momento você pode deixar de conseguir cantar, de subir em um palco. E a gente não quer isso.

Por isso te escrevo essa carta, na esperança de que você encontre essas palavras bobas e pense no quanto tanta gente ama você nesse mundo. Fica boa, fica forte. Daqui a gente espera que esse amor chegue no seu coração e traga alegria e serenidade.

Se cuida, Chan, você é fantástica.

Um beijo,

Dani

_________________________________________________________________________________________

Escrevi essa carta depois de ver o show da Cat Power na última semana de outubro no Manhattan Center Hammerstein Ballroom, em Nova York.

A revista Noize publicou a carta. Vão lá ver! > http://noize.virgula.uol.com.br/carta-aberta-para-cat-power-enviada-por-daniela-arrais/

amor  ·  arte  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  música

contente em entrevista na revista tpm

por   /  08/11/2012  /  12:52

A revista TPM fez uma entrevista MUITO legal com a Contente!

Começa assim: Luiza Voll e Dani Arrais fizeram de um plano B sua principal função, espalhando criatividade pela internet.

A gente amou! ♥

Leiam! > http://revistatpm.uol.com.br/so-no-site/entrevistas/contentes.html

amor  ·  autoajuda do dia  ·  contente  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  instamission  ·  internet  ·  trabalho

dont touch my mixtape: bem-vindo, novembro!

por   /  05/11/2012  /  14:24

Pra começar bem a semana e o mês, fiz uma nova mixtape: Bem-vindo, novembro!

Começamos com Blondie, passamos pro Best Coast, resgatamos um Belle and Sebastian e emendamos com um novíssimo Frank Ocean.

Temos uma música do Madrid, outra do XX, mais uma da Grimes e ainda mais umas bandas e cantores que vocês vão descobrir ouvindo a seleção, que foi feita com muito carinho!

Pra ilustrar, uma foto linda de Rama Knight.

Ouçam abaixo! ♥

amor  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  mixtapes  ·  música

direto de ny: depois de sandy

por   /  30/10/2012  /  15:15

#Sandy #Frankenstorm passou e está tudo bem! Por aqui foi só um dia de chuva e vento forte.

A internet caiu à noite, mas voltou pela manhã. Nem luz faltou!

Agora saindo pra ver a rua, encontramos essa árvore caída bem na esquina (e um monte de gente instagramando a mesma cena).

Já tem gente cortando o tronco e em pouco tempo a rua ficará livre.

Obrigada, cosmos e Brooklyn!

E todo mundo que ficou aí torcendo pra que tudo ficasse bem ♥

direto de ny: antes de sandy chegar

por   /  29/10/2012  /  19:37

O vento continua forte, mas nada mudou muito até agora.

Por volta do meio-dia, saímos pra comprar mais água e comida.

Acima, a vista da rua, no Brooklyn Heights.

Parada pra fazer uma refeição decente: fomos ao Building on Bond, que estava aberto, mas com cardápio reduzido.

O restaurante estava quase lotado; todo mundo matando um hambúrguer com fritas antes de Sandy chegar.

No Wallgreens, as estantes de água, suco e refrigerante pareciam saqueadas. Deu pra comprar umas garrafas.

Mas já entendi que um cálculo foi errado: compramos apenas um pack de cerveja… I’ve already drank half of my supplies! (referência:  @jeremyscahill no Twitter)

As prateleiras de chocolate tavam ainda piores. Ô povo junkie! (me sinto em casa)

Na saída, um cachorro muito fofo fazia focinho de preocupado.

Acima, o que temos de comida pra esses dias. Como se pode ver, a preocupação com elementos nutritivos norteou as compras…

direto de ny: furacão sandy

por   /  29/10/2012  /  18:00

Estamos aqui, diretamente de Nova York, dentro de casa, à espera do furacão Sandy!

Se tudo o que a mídia está dizendo for verdade, vejo vocês daqui a uns dias, porque a cidade vai inundar, uma falha de eletricidade pode durar semanas, não sei pra onde vai dar pra ir, já que o transporte público pode demorar dias pra voltar (desde ontem à noite metrôs e ônibus já não funcionam).

A situação é tensa, viu?

Mas tô preferindo pensar que os americanos são hiperbólicos e que vai ser só um susto.

Hoje de manhã ainda deu pra andar pelo bairro (Brooklyn Heights), comprar umas coisas no Wallgreens (não tinha mais lanterna, só umas velas enormes) e perder dois guarda-chuvas em um intervalo de dez minutos.

O vento tá forte (teve uma hora que até dei uma seguradinha numa árvore), e a previsão é que Sandy chegue somente em oito horas.

Já que num dá pra fazer nada da programação intensa que tínhamos preparado, vamos ficar na internet, né?

Vou ficar postando umas coisas por aqui (relacionadas e não relacionadas ao furacão). E lá no Twitter (@daniarrais) coloco mais coisas sobre a Frankenstorm.

Pra começar, um texto do David Carr, colunista do New York Times, sobre como a TV faz um looping de antecipação desde sexta-feira. Em certa altura do texto, ele fala:

“Worse than Irene” was trending on-air Monday, as was, “Get out now!” “Monster storm” is becoming a trademark of Sandy coverage, in part because it makes a natural event sound like a movie and partly owing to its size, duration and area of impact. Makes you wonder what will be left in the bank of hyperbole for tonight when Sandy actually makes landfall.

Leiam o texto > http://nyti.ms/UaSkEZ

um jeito novo de ouvir as mixtapes do don’t touch

por   /  23/10/2012  /  8:33

Ouço música o tempo todo, adoro uma festa (faço umas de vez em quando, toco em algumas outras), vou a muitos shows. Sou apaixonada por música, esse clichê.

E adoro fazer mixtapes. Pensar numa seleção de amor, em outra de festa, em mais uma pro coração partido, naquela que vai celebrar a primavera.

Vocês sempre acompanharam por aqui as mixtapes do Don’t Touch, tanto as que eu faço quanto as que amigos com super bom gosto fazem também (dá pra ouvir tudo aqui > http://donttouchmymoleskine.com/category/categorias/especialdonttouch/mixtapes/).

Agora, o Don’t Touch faz uma parceria com o Rdio, um site que possui um catálogo com mais de 18 milhões de músicas e facilita a vida da gente.

E como ele faz isso? Permitindo que você guarde sua coleção de músicas no computador, no celular, tudo sincronizado!

Você cria uma conta lá e começa a fazer sua coleção de músicas. Segue amigos, conhecidos, gravadoras, gente influente. E é aí que o Don’t Touch entra!

A partir de agora, o Don’t Touch é um influenciar do Rdio. Não é demais? =)

Os primeiros dias são grátis. E digo pra vocês: vale passar do período de degustação e fazer uma conta por lá. Os planos começam em R$ 14,90 por mês _ou o equivalente a uma corrida de táxi.

Pra começar, fiz uma mixtape intitulada Pra encher o mundo de good vibes!

Ouçam ♥

amor  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  mixtapes  ·  música

retratos anônimos

por   /  22/10/2012  /  10:42

Quem aí usa Instagram?

Criei um novo perfil pra reunir fotos de desconhecidos: @retratosanonimos.

Adoro fazer fotos de gente que vejo por aí, comecei a usar a hashtag #retratosanônimos e, um tempinho depois, descobri que mais gente estava fazendo o mesmo.

Fiquei feliz e pensei: vou criar um perfil pra postar essas fotos e incentivar mais gente a registrar desconhecidos!

Sigam: @retratosanonimos