Favoritos

Posts da categoria "escreve escreve"

mixtape #10: estêvão bertoni

por   /  28/10/2008  /  20:46

estêvão bertoni é o cara que fala de morte quase todo dia. no meio do caminho, ele encontra tempo pra escrever letras e fazer melodias pro bazar pamplona

a gente se conheceu no trainee da folha. em meio a casos “como é que ficou”, falávamos de música, de qualquer besteira, entrevistávamos uns pirralhas que tinham piolho, bicho de pé (aqui, ó)…

bons tempos, bons tempos   =)

pra miguxtape, ele fez uma seleção caprichada, que tem até vinheta de rádio!

“a escolha foi quase toda aleatória, tirando duas faixas: arnaldo baptista e sean lennon, por causa do documentário ‘lóki’. fui motivado pelo filme na hora de escolher as duas músicas. de resto, peguei o que tinha no computador: tom waits, kinks, barbarians, beck, tom zé, wayne hancock e a batida de violão que realmente importa na música brasileira: jorge ben. ah, usei vinhetas toscas também, bem fm”, diz.

a foto é de ben stansall/france presse
especial don't touch  ·  fotografia  ·  mixtapes  ·  música

game boys

por   /  27/10/2008  /  11:41

Garotos com olhar de contemplação, iluminados por uma claridade que o espectador não sabe de onde vem. O close no rosto não dá pistas sobre o que eles olham com tanta concentração. A indicação, no entanto, está nos nomes que os acompanham: Halo 2, Enter the Matrix, Crash Bandicoot, títulos de jogos de videogame.

Os retratos fazem parte da série “Game Boys”, da fotógrafa norte-americana Shauna Frischkorn, 46. Por mais de dois anos, ela recebeu em seu estúdio garotos aficionados por videogames, em uma tentativa de captar a expressão deles enquanto jogavam.

“Logo no primeiro dia, soube que tinha algo único. O jeito como os garotos se comportam, a expressão deles enquanto estão jogando… Eles não mudam nunca! Mesmo após três horas jogando o mesmo jogo, eles têm a mesma expressão congelada”, disse em entrevista por telefone à Folha.

“Comecei, então, a prestar atenção nas nuances da expressão deles. Quando faziam alguma coisa que os deixavam alegres, dava para ver um sorriso minúsculo”, afirmou Shauna, que disponibilizou Playstation 2 e Xbox para os garotos.

As fotos -que ilustraram revistas como a “Time” e hoje fazem parte do acervo da Microsoft Art Collection- já foram comparadas a imagens renascentistas. “Disseram que a série tem a ver com êxtase, com pessoas olhando para o céu e esperando a descida de anjos.”

Para Shauna, um dos méritos das fotos é evitar o julgamento. “Qualquer coisa feita com moderação é legal. E, para alguns meninos, videogames são um alívio, ajudam a desenvolver a coordenação. Mas claro que não devem ser usados como babá eletrônica”, aconselha.

texto meu na folha da semana passada. vejam mais na folha online =)

mixtape #9: joão perassolo

por   /  21/10/2008  /  18:58

joão apareceu no twitter numa época (aka agosto do ano passado) em que não existiam milhões de fakes, mais uma pá de empresas e outro monte de gente que cobre eventos chatos em tempo real. era o tempo TRU do twitter. não que a gente não continue por lá, mas sabe como é, né? reclamar faz parrrte… =)

sei lá porque, nos adicionamos, praticamos o MIGUXISMO on-line e, um pouco depois, fomos fazer isso na mesa de bar, que é sempre mais legal

de lá pra cá, dividimos muitas cervejas, conversas sobre freud e lacan (e exaltações aos nossos respectivos analistas), gongações acerca da náitchi paulistana, além de passeios por são paulo para fotogragfar com nossas queridas máquinas lomo

pra fazer a miguxtape, que tem cover do jesus and mary chain, vicent gallo, pellumair, my bloody valentine e mais um monte de coisa, joão seguiu minha dica: músicas que tocam o coração. “não tem um CONCEITO que amarra todas as faixas, tem apenas músicas que eu ouço repetidamente há anos. que tipo de som? tem shoegaze, tem techno e tem música de elevador, que eu prefiro chamar de sadcore pra soar cool. hah.”

a foto é do próprio joão, que tem um flickr INCRÍVEU: www.flickr.com/photos/cavalera

ouçam a miguxtape #9 aqui

mixtape #8: alexandre matias

por   /  14/10/2008  /  20:49

alexandre matias é uma lenda da internet brasileira. por algum motivo que eu não sei qual (mas deve ter sido música ou jornalismo), a gente começou a trocar uns emails em algum dia distante, bem distante (anos 2000, talvez?)

em alguma vinda pra são paulo, conheci ele (minha memória não me deixa nem contar uma história bonitinha e cronológica, haha). um outra vez, ele foi, com fred, pra recife. e aí eles começaram a querer agitar uma festinha… umas ligações e uns sms´s depois, tínhamos uma festa tão animada que até a galera do psy baixou por lá! haha

de lá pra cá, trocamos muitos emails, conversamos no gtalk, almoçamos em um lactovegetariano e dividimos o cdj em discotecagens da gente bonita… sempre uma ótima companhia esse garoto   =)

e, com todo bom gosto que ele tem, é claro que fez uma seleção inspirada pra miguxtape, com dusty springfield, lulu santos, specials, stevie wonder, novos baianos e um monte de coisa boa

a explicação? vida fodona lifestyle

ouçam a miguxtape #8 aqui

mixtape #7: rodrigo levino

por   /  07/10/2008  /  17:54

numa terca-feira de miguxtape, rodrigo levino (26 anos, jornalista, vive entre Natal e São Paulo; “leio o DTMM desde o comecinho e fico o dia todo dando F5 no blog” =) deixou um comentario dizendo que os leitores/fas do blog bem que podiam fazer sua selecao tambem. e ele foi rapidissimo!

fez uma selecao “esquema simples, para dançar até estilar, como se diz lá em Recife”, com mgmt, justice, flaming lips, duffy e mais um monte de coisa legal.

e eu nao coloco a lista das musicas porque quero agucar a curiosidade de voces!  =p

oucam: http://www.garageband.com/mp3/ColumbusCast.mp3?|pe1|WdjZPXLrvP2rYVGzYGBnDg

miguxtape #6: ronaldo evangelista

por   /  30/09/2008  /  17:16

ronaldo apareceu por uma janelinha do soulseek. nem existia orkut, tampouco blogs de mp3. eu me espantava com a quantidade de músicas que ele tinha _umas oito mil, talvez. baixava um disco pelo nome, outro porque tinha ouvido falar. ele me sugeria, também. e acertava. afinal, antes de ser esse cara que fala de mpb com tanta propriedade, ele era o cara que me pediu ajuda pra tirar a letra de uma então música nova do camera obscura. uma fofura  =)

o tempo passou, tanta coisa aconteceu. gente foi, gente veio. e ele ficou. às vezes ausente, mesmo vizinho, quando antes era mais presente, mesmo distante. tô nessas de rimas bem bobas hoje… é assim que a gente faz com os amigos queridos, né?

pro don´t touch, evan explica a seleção:

Pedido da Dani é uma ordem. Mixtape pro melhor blog do mundo hoje? Tem que ser simples, mas elegante; bonito, mas discreto; sensível, mas sem frescura; sério, mas divertido. Então, tem a Nina Simone de tirar o fôlego cantando Duke Ellington, a brisa do mar de uma canção donatiana do Rodrigo Amarante na Orquestra Imperial, o Andrew Bird com clima de caixa de música, a Elis elegantérrima cantando Dolores Duran em francês, a Dusty Springfield oferecendo café na cama e sexual healing, o Erasmo falando do que só quem viu entende, a linda Zooey dizendo pra você sentar e fazer ela sorrir, os ultra-talentosos Gustavo e Monique chamando pra fugir com eles no Sunset, a Rose Stone cantando estáile com seu irmão Sly, uma música de levantar e dançar da época de antes da sua mãe ser viva, uma delicadeza sem fim com a Gal cantando acompanhada só do piano do Donato, o Al Green e a Corinne dizendo pra ir com calma que tudo dá certo e finalmente o Willie Bobo dando o toque: esse jeito do mal não é legal.

o que é que vocês estão esperando?

ouçam a miguxtape #6 aqui

amor  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  mixtapes  ·  música

1 ano!

por   /  28/09/2008  /  19:31

1.300 posts depois, o meu, o seu, o nosso querido don´t touch my moleskine completa um ano de vida!

e marilyn sopra as velinhas para esse libriano exagerado na quantidade de posts! haha

divirtam-se aí com os arquivos    =)

escreve escreve  ·  etc  ·  fotografia

sonha, coração

por   /  27/09/2008  /  19:12

era na encruzilhada, um apartamento que era meio casa, porque tinha um quintal a ceú aberto. era laje, bem antes de eu saber que laje pede samba. sempre tocava fagner por lá. eu achava engraçado ouvir “quem dera ser um peixe” e imaginava o que era o límpido aquário de alguém. passar a noite em claro dentro de ti eu viria a descobrir um pouco depois… haha

“borbulhas de amor” deve ter servido de trilha para a relação inteira, começo, meio e fim, que ela tinha com aquele namorado grisalho que atendia pelo nome do país. ele era meio esquisito, usava umas calças sociais, camiseta de botão. se brincar, até colar dourado, pendurado no meio da barriga. tentava ser simpático, mas eu implicava na maior parte do tempo. birrenta e ariana desde sempre.

mas da laje eu gostava. laje com fagner, os coroas tomando aquela cervejinha no sábado. ah, a cervejinha do sábado… aquele fazer nada ao som de uma vitrola cansada de tanto rodar, uns petiscos pra passar o tempo e não deixar ninguém passar do ponto, a vizinha que falava um oi e se inteirava da conversa, puxava uma cadeira e pedia um copo pra também entrar naquele clima. se tivesse praia antes, ainda melhor.

quando eles acabaram, lembro das noites que ela passou recortando a parte em que ele aparecia nas fotos. fotos em álbuns, fotos em caixas de sapato. do alto dos meus 10 anos, talvez, achava aquilo ali estranho. depois viria a descobrir que a palavra mais adequada era recalque.

se ela tivesse ouvido a mesma música com outros ouvidos, teria recebido o melhor conselho do mundo: “canta, coração, porque essa alma necessita de ilusão. sonha, coração, não te enchas de amargura”. anos depois, eu que entendi o recado e o motivo de eu ouvir essa música sem parar há tanto tempo.

amor  ·  escreve escreve  ·  música