Favoritos

Posts da categoria "amor"

Sobre praticar tudo, bem ou mal, mas repetidamente

por   /  26/01/2015  /  8:08

Kurt

What I had to say to you, moreover, would not take long, to wit: practice any art, music, singing, dancing, acting, drawing, painting, sculpting, poetry, fiction, essays, reportage, no matter how well or badly, not to get money and fame, but to experience becoming, to find out what’s inside you, to make your soul grow.

Em 2006, um grupo de estudantes foi desafiado pelo professor a testar suas habilidades persuasivas, pedindo ao escritor Kurt Vonnegut para visitá-los. Foi essa a resposta que eles receberam.

[Via Letters of Note]

amor  ·  fotografia  ·  literatura

Embalos de sexta à noite

por   /  23/01/2015  /  7:07

@flagartfoundation

Pra começar um ano, uma mixtape para ouvir na sexta à noite, tanto como esquenta pra balada quanto praquele tempo infinito de decidir qual filme ver no Netflix.

Começa com Cocteau Twins, passa por Sinkane, Future Islands, Hypnolove, Easter, Ryan Hemsworth, Cashmere Cat, Wildlight. Aí depois tem Chlöe Howl, Arnaud Reboniti, Lady, Baths, Shlohmo, Lower Dens e Grant, terminando com Black Keys.

A foto é de uma instalação do Jim Rodgers, via @flagartfoundation.

Ouçam comigo!

Vocês já seguem o Don’t Touch no Rdio? > http://rdio.com/people/donttouchmymoleskine

amor  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  mixtapes  ·  música

É ok não ter mais paciência para um monte de coisas

por   /  20/01/2015  /  19:19

@svedenbornphoto

I no longer have patience for certain things, not because I’ve become arrogant, but simply because I reached a point in my life where I do not want to waste more time with what displeases me or hurts me. I have no patience for cynicism, excessive criticism and demands of any nature. I lost the will to please those who do not like me, to love those who do not love me and to smile at those who do not want to smile at me. I no longer spend a single minute on those who lie or want to manipulate. I decided not to coexist anymore with pretense, hypocrisy, dishonesty and cheap praise. I do not tolerate selective erudition nor academic arrogance. I do not adjust either to popular gossiping. I hate conflict and comparisons. I believe in a world of opposites and that’s why I avoid people with rigid and inflexible personalities. In friendship I dislike the lack of loyalty and betrayal. I do not get along with those who do not know how to give a compliment or a word of encouragement. Exaggerations bore me and I have difficulty accepting those who do not like animals. And on top of everything I have no patience for anyone who does not deserve my patience.

Frase do José Micard Teixeira, autor português.

A foto é do @svedenbornphoto.

amor  ·  fotografia  ·  literatura  ·  vida

Não esqueça de você

por   /  20/01/2015  /  17:17

Ana Paula Malaga

Ana Paula Malaga 4

Ana Paula Malaga 3

Ana Paula Malaga 2

Ana Paula Malaga 1

Quando tive a crise dos 7 anos do blog, algumas pessoas muito queridas me mandaram emails. E um email da Ana Paula Málaga virou uma conversa, dessas que nos lembram o significado das coisas, sabe? Foi lindo. Um tempo depois, pedi pra dividir as fotos dela com vocês.

“Algumas pessoas que eu amo me lembram de quem eu mesma sou, me fazem acreditar naquela ‘coisa’ que a gente tem e faz a gente ser único e especial, sabe? Daí, quando essas pessoas duvidam de quem elas mesmas são, eu passo a duvidar de mim também… Por isso eu fiz essas fotos, para dar de presente pra uma amiga minha que eu amo muito (depois dei pra uma prima e uma tia também) e pedir para que elas não me deixem esquecer de mim mesma, nem delas”, me disse ela.

Bonito demais, né? ♡

amor  ·  fotografia

Os últimos a lembrar do mundo antes da internet

por   /  05/12/2014  /  9:09

etna_11

Somos, esses nascidos antes de 1985, imigrantes digitais, a última geração que vai lembrar do mundo antes da internet.

We have in this brief historical moment… A very rare opportunity… These are the few days when we can still notice the difference between Before and After… There’s a single difference that we feel most keenly; and it’s also the difference that future generations will find hardest to grasp. That is the end of absence – the loss of lack. The daydreaming silences in our lives are filled; the burning solitudes are extinguished.

Michael Harris, em “The end of absence”.

A foto é de @etna_11

amor  ·  fotografia  ·  internet

Para conhecer melhor o Recife

por   /  03/12/2014  /  18:18

bozo

Sempre que a gente sai do circuito turistão em uma viagem, dá uma sensação de que soubemos aproveitar mais, né? É ótimo conhecer os lugares clássicos, claro, mas descobrir aqueles cantinhos que só os locais conhecem deixa tudo com mais graça. Sou do Recife, como vocês sabem. Saí de lá há um tempo, então sempre que alguém vai visitar a cidade e me pergunta o que fazer, acabo dando as mesmas dicas, centradas em pontos turísticos e comidas deliciosas. Às vezes acrescento alguma dica de amigos que falam de um lugar novo, contam de um artista – e adoro essa informação que chega filtrada.

Foi nesse esquema que acabei conhecendo dois artistas pernambucanos: Bozó Bacamarte, grafiteiro, e Danilo Galvão, fotógrafo. Eles são os guias da versão Recife do Boletim #Urbano, uma iniciativa da Natura que, desde julho, convida artistas da cena de arte urbana pra indicar os lugares mais legais de cidades como São Paulo, Curitiba, Salvador, Rio, entre outras.

Bozó Bacamarte é grafiteiro e enche as ruas da cidade com sua arte que fala do povo nordestino, de suas lutas e de seus humores. Influenciado por Banksy e Samico (um dos meus artistas preferidos), ele começa o roteiro indicando uma parada na avenida Visconde de Suassuna. “Existe um painel gigantesco nessa avenida com grafites de uma galera de Recife e do Nordeste. É legal pra visitar, tirar foto, apreciar um pouco da arte urbana.”

A próxima parada no roteiro é do fotógrafo Danilo Galvão. “Preciso me movimentar na cidade se não ela vai me engolir. Gosto de caminhar, isso me motiva a registrar as relações que eu encontro com cada momento”, diz. Um dos lugares preferidos para fazer isso é a rua da Aurora, aquela dos casarios coloridos, de frente para o rio Capibaribe, ideal para passear a pé ou de bicicleta. É lá também que fica o Mamam (Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães), um antigo casarão do século 19 que recebe exposições bem interessantes em seus três andares.

O roteiro continua, e vocês descobrem por onde acessando a página do Boletim #Urbano. Assinem a newsletter para ver os roteiros anteriores e ficar por dentro dos próximos! www.natura.com.br/www/nossas-marcas/urbano

O Boletim é uma iniciativa da Natura para divulgar #Urbano, sua nova fragrância masculina, que convida a todos a enxergarem os centros sob a perspectiva da arte urbana, valorizando a surpresa, o inesperado, o despertar do olhar. Nessa pegada, a marca também fez o #urbanoaovivo, em que 20 artistas criaram a partir de sugestões enviadas pelo Twitter. As mais de 1500 interações renderam 130 telas, que vocês podem ver no site www.natura.com.br/urbano

Danilo Galvão

* Este post é um publieditorial.

Um monte de coisa linda no Instagram

por   /  03/12/2014  /  9:09

sd

Um monte de coisa linda que achei no Instagram!

Aliás, vocês já seguem o Don’t Touch por lá? www.instagram.com/donttouchmymoleskine

Pra começar, não tenha medo do oceano, por @sejkko

livro

Ler juntinho. Do @theacademynewyork

dream

Para lembrar sempre! Da @anastrumpf

s

Um passaporte, por favor! Por @inayali

hans

Para refletir. Por @hansulrichobrist

nicanor

Respiro. Por @nicanorgarcia

time

Contagem. Do @taxiamarelony

karen

Oi, dezembro! Fofo demais o #calendáriosonoro feito por @karenhofstetter, @lucianaelaiuy e @musiquice!

macenzo

Bom dia! Que seja colorido assim, como na foto do @macenzo

amor  ·  arte  ·  fotografia