Favoritos

Posts da categoria "amor"

Trilha: Música pop pós-30

por   /  11/09/2015  /  11:00

Petra Collins

Ver minha afilhada cantando um hit que não para de tocar no rádio me fez ouvir música pop com outros ouvidos. Estávamos em uma viagem juntas, a música da Ellie Goulding tocava em todo lugar, e eu ficava perguntando do que ela mais gostava. Sofri muito bullying (beijos, Luisinho!) porque não conhecia direito a Taylor Swift ou a Sia nem tinha visto todos os últimos filmes da Disney (se você considerar como últimos quaisquer que tenham sido lançados há 10 anos, ops).

Voltei pra casa e comecei a ouvir “Love me like you do” e a lembrar dela, da viagem. Ouvi o disco da Lorde, comecei a gostar muito de “400 lux”. Fui ouvir a Taylor Swift depois de me dar conta de como ela é uma artista gigante, não só pelos números de visualizações no YouTube, por exemplo, como também pelas parcerias que faz, pela banca que ela coloca com quem quer vender a música dela. Pra completar, li uma pesquisa falando que as pessoas costumam parar de ouvir música nova aos 34 e pensei: não quero, haha!

O resultado disso tudo é uma mixtape cheia de música pop que eu ando ouvindo MUITO. “High by the beach”, da Lana del Rey, já tocou 20 vezes só hoje. “Marvin Gaye”, do Charlie Puth, começa com “Let’s Marvin Gaye and get it on”, o que me faz pensar: como pode ninguém ter feito esse trocadilho antes? Tem também George Ezra, Sky Ferreira, Haim, Ariana Grande, Beyoncé, Major Lazer, Charlie Puth, The Weeknd e Rihanna.

Pra combinar, quer coisa mais adolescente do que essa foto maravilhosa da Petra Collins?

Deixem o preconceito de lado e apertem o play! 

(Obrigada, Lulu, Ari e Luisinho por me mostrarem essas coisas todas. E Lia por ter insistido na Lorde e nas Haim!)

amor  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  mixtapes  ·  música

O amor

por   /  11/09/2015  /  9:00

Celso Sim e Arthur Nestrovski cantam “O amor”, uma música de Caetano que me comove todas as vezes. Deitado, José Miguel Wisnik observa. São muitos os dias em que eu amo São Paulo. Esse domingo de agosto no Teatro Oficina foi um deles.

Talvez quem sabe um dia por uma alameda do zoológico 
Ela também chegará, ela que também amava os animais 
Entrará sorridente assim como está na foto sobre a mesa 
Ela é tão bonita, ela é tão bonita que na certa eles a ressuscitarão 
O século trinta vencerá o coração destroçado já 
Pelas mesquinharias 
Agora vamos alcançar 
Tudo o que não podemos amar na vida 
Com o estelar das noites inumeráveis 
Ressuscita-me ainda que mais não seja 
Porque sou poeta e ansiava o futuro 
Ressuscita-me lutando contra as misérias do cotidiano 
Ressuscita-me por isso 
Ressuscita-me quero acabar de viver o que me cabe 
Minha vida para que não mais existam amores servis 
Ressuscita-me para que ninguém mais tenha de sacrificar-se 
por uma casa, um buraco 
Ressuscita-me para que a partir de hoje 
A partir de hoje 
A família se transforme 
E o pai 
Seja pelo menos o Universo 
E a mãe 
Seja no mínimo a terra 
A terra 
A terra

amor  ·  música  ·  são paulo  ·  vídeo

Karaokê do Letuce

por   /  04/09/2015  /  15:00

Letícia Novaes é hipnotizante. Tem uma força, um magnetismo, uma presença e uma entrega impressionantes. Ontem, no Puxadinho da Praça, ela e o Lucas Vasconcellos fizeram um show bem intimista, voz e violão. Deu vontade de morar uns tempos no Rio, de fazer churrasco e poesia. De juntar os amigos pra cantar a vida rasgando o coração.

Não resisti e gravei umas músicas do show que virou um lindo karaokê. Raça Negra, Grupo Raça, Só Pra Contrariar, a música tema de Babalu e Raí em “Quatro por Quatro” e Paralamas do Sucesso, só maravilhas! 

Mais Letuce > www.facebook.com/pages/Letuce

amor  ·  especial don't touch  ·  música  ·  vídeo

Transeunte coração, de Ava Rocha

por   /  03/09/2015  /  16:00

Ava Rocha

Gostando muito dessa música “Transeunte coração”, da Ava Rocha!

Teu transeunte coração
Faz como um peixe no áquario
Nada solitário
Na cidade desilusão

Procura
Um amor
Pelas ruas
Transitadas

Não sou essa mulher que você procura
Não sou essa mulher que você procura

Quando pensares que sou eu
Por favor não me olhe
Porque não vou te reconhecer

Não, não sou eu
Quem você ama, quem você procura
Não, não sou eu
Quem você procura, pra ser amada por você
Não, não sou eu
Quem você ama, quem você procura
Não, não sou eu
Quem você procura, pra ser amada por você

Ela lançou este “Ava Patrya Yndia Yracema”, que é bem interessante – tô a semana toda ouvindo, entendendo.

Ouçam comigo, logo abaixo dessa ilustração linda!

Mais em > www.avarocha.com

Ava Rocha 1

No Rdio:

No Soundcloud:

amor  ·  fotografia  ·  música

Miley Cyrus + Flaming Lips

por   /  01/09/2015  /  8:00

Miley

Status: ouvindo Miley Cyrus e gostando (muito)! Ou frases que jamais achei que falaria, haha

O disco “Miley Cyrus & Her Dead Petz” é uma colaboração com o Flaming Lips e tem participação de nomes como Ariel Pink. “Eu posso fazer só o que eu quero fazer e fazer a música que eu quero fazer”, ela disse ao @nytimes. O lançamento, em streaming e de graça, foi feito durante o #VMAs.

Ouçam: soundcloud.com/mileycyrus

Woody Allen falando da vida e do cinema

por   /  04/08/2015  /  13:00

Damon Winter:The New York Times

 

Quanto menos penso em mim mesmo, melhor fico. Se começar a ler que sou maravilhoso ou horrível, essas coisas grudam na mente e causam perda de tempo. Não penso sobre isso e não leio críticos ou entrevistas comigo. É mais saudável assim.

O trabalho do artista, na minha visão, é mostrar as pessoas que tudo que vocês estão fazendo é insignificante e que tudo vai desaparecer um dia. Então, aproveitem a vida. Se há um lado positivo, acho que falhei em encontrar nos meus 45 filmes. A minha maior contribuição é tentar distrair as pessoas por duas horas, fazê-las esquecer como a vida pode ser terrível e dos problemas. Meus filmes são como um copo de água gelado em um dia quente de Verão.

Você aprende certas coisas e acredita que se tornou mais tolerante com as pessoas, menos rabugento e compreende que as pessoas têm os mesmos problemas e inseguranças que você tem. Então, ficamos melhor neste sentido, porque fica consciente do sofrimento alheio e tende a se importar mais com as pessoas. Mas não aprendemos muito. Falando de cinema, você aprende tudo que precisa ao fazer dois filmes apenas. No primeiro, eu não sabia fazer nada e (o montador) Ralph Rosenblum e (o diretor de fotografia) Gordon Willis me ensinaram tudo. Você aprende fácil e, quando tem uma boa ideia, as coisas tendem a fluir tranquilamente.

Woody Allen em entrevista a Rodrigo Salem, ontem na Ilustrada.

Mais em > “Meu sentimento é de que não influenciei ninguém”, diz Woody Allen

amor  ·  arte  ·  cinema  ·  fotografia  ·  música