Favoritos

Posts da categoria "amor"

1 dor profunda de amor

por   /  11/07/2014  /  9:09

hony

O Humans of New York me emociona a cada post.

O de ontem foi de cortar o coração:

“We were twenty-five and twenty-eight, but we acted like fifteen year olds. Fighting over little things, storming off, breaking up for a week and then getting back together. But developmentally, we were fifteen year olds. We’d been in the closet our whole lives, so we didn’t have any practice with relationships. He still hadn’t come out to his family and a lot of his friends. We were on one of our ‘little breaks’ when he died suddenly from a seizure. And nobody in his family or circle knew I existed. It took me four months to find out that he died. I thought he’d just decided never to talk to me again. His family never found out about me. Or him, for that matter.”

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  internet  ·  nova york

belle and sebastian, anos depois

por   /  18/07/2013  /  8:48

Vi o Belle and Sebastian ao vivo de novo e chorei três vezes, quase sem querer.

Talvez porque a banda de abertura foi o Yo La Tengo, que eu amo, talvez porque o local do show foi o Prospect Park, no Brooklyn (que é lindo demais), talvez porque tem dias em que uma coisa corriqueira na minha vida como ver um show vira um desses momentos grandiosos.

Do meu lado tinha uma menina de pouco mais de 20 anos, e ela falava oh my god o tempo todo, tentava tirar foto e só fazia tremer (praticamente uma versão minha de 2001). Do outro lado, tinha um nerdzinho fofo, que cantava tudo e ria muito de tudo que o Stuart Murdoch falava. Aliás, como tinha homem nesse show! No Brasil é tão mais banda de menina, né?

Sabendo que a platéia deles é a mesma há anos, a banda misturou músicas mais recentes com clássicos, principalmente do “Tigermilk” e do “If you’re feeling sinister”.

Quando começou “Starks of track and field”, chorei, fiz um vídeo pra dividir com vocês, lembrei de quem eu era há 12 anos e tive um flashback de quase tudo que aconteceu na minha vida.

Foi importante e tão bonito.

Obrigada sempre, B&S! ♥

amor  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  música  ·  nova york  ·  vídeo

um novo significado para o casamento

por   /  17/07/2013  /  8:11

Casamento é a união formal de um homem e um mulher, pela qual eles se tornam marido e esposa, certo?

Não mais.

Depois que o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi legalizado nos Estados Unidos, um grupo de artistas anônimos decidiu hackear o significado da palavra no Oxford American Dictionary.

Eles criaram adesivos com a nova definição, que diz: “casamento é a união formal de duas pessoas, pela qual elas se tornam parceiras para a vida”. E saíram colando a novidade em dicionários de livrarias e bibliotecas de Nova York

Quem quiser fazer o mesmo, pode baixar os adesivos e sair hackeando dicionário por aí!

Mais em > http://hackmarriage.tumblr.com/

(Via Animal New York)

 

amor  ·  ativismo  ·  auto-ajuda  ·  nova york  ·  vídeo

os malabaristas de david hockney

por   /  10/07/2013  /  8:35

Aos 75 anos, David Hockney não para de experimentar. Em 2010, ele saiu em defesa da arte digital feita em iPads. “Você pode fazer um desenho do sol nascendo às 6h30 da manhã e mandá-lo para as pessoas às 7h”, disse ele à BBC, na ocasião da exposição que ele fez em Paris com desenhos, principalmente de flores.

Desde maio deste ano, o artista, um dos ícones da pop art, exibe no Whitney Museum, em Nova York, uma vídeo-instalação intitulada “The Jugglers, June 24th 2012″.

É a primeira vez que o artista inglês trabalha com vídeo. Usando 18 câmeras fixas, ele filmou um grupo de malabaristas em ação. Vestidos de preto e brincando com objetos coloridos, eles se movimentavam em frente a uma parede rosa/vermelha, que contrasta com o piso azul. Na instalação, Hockney usa 18 telas para mostrar o movimento contínuo dos malabaristas.

O mais curioso é que não existe sombra em parte alguma. A imagem é precisa, vibrante, quase como se fosse um de seus quadros icônicos (e um dos meus preferidos é A big splash), mas em movimento.

“David Hockney nos surpreende mais uma vez, explorando como as múltiplas perspectivas podem transformar a nossa experiência da imagem em movimento“, disse Chrissie Iles, curadora do Whitney Museum. “Os tons vívidos de ‘Jugglers’ evoca a cor intensa dos filmes Technicolor de Hollywood, enquanto os movimentos lúdicos dos malabaristas ecoam as ações simples de filmes mudos. Hockney mina as histórias do cinema e da pintura através da lente da tecnologia, para criar uma nova forma de ver.”

David Hockney: The Jugglers

Whitney Musem (945 Madison Avenue com 75th St)

Até 1/9

Mais > http://whitney.org/Exhibitions/DavidHockney

amor  ·  arte  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  nova york  ·  vídeo

a luz de james turrell

por   /  26/06/2013  /  14:25

O Guggenheim Museum é famoso por seu projeto arquitetônico, assinado por Frank Lloyd Wright. James Turrell se adaptou ao formato cilíndrico do espaço para instalar a inédita “Aten Reign”, uma obra hiperbólica que ganha força quanto mais o espectador a contempla.

“Aten Reign” é a primeira grande mostra de Turrell em Nova York em 30 anos. O artista norte-americano de 70 anos também faz atualmente mais mais duas exposições, uma no Los Angeles County Museum of Art e outra no Museum of Fine Arts, em Houston.

Composta por cinco anéis elípticos, o coração de “Aten Reign” é a luz natural que vem da abertura do teto. Para fazer isso, o artista envolveu a espiral do museu em um tecido branco fino e esticado.

A luz muda de acordo com a hora do dia, o tempo e as luzes no exterior da construção. Pela primeira vez, o Guggenheim deve ser observado apenas do térreo, o que o transforma em um ambiente lúdico, contemplativo e etéreo, que mais parece o céu – ou uma nave espacial.

Um dos expoentes do movimento Light and Space, que surgiu no sul da Califórnia nos anos 1960, Turrell usa a luz como meio para descobrir como a nossa percepção funciona. Uma de suas frases famosas é:

Primeiro, eu estou lidando com nenhum objeto. A percepção é o objeto. Em segundo lugar, estou lidando com nenhuma imagem, porque eu quero evitar o pensamento associativo, simbólico. Em terceiro lugar, eu estou lidando com nenhum foco ou lugar particular para olhar. Com nenhum objeto, nenhuma imagem e sem foco, o que você está olhando? Você está olhando para você olhando.

Dos primeiros segundos para os últimos minutos de observação, o mesmo lugar se transforma. O que antes é quase que apenas uma cor forte, com variações de tons, vai mudando à medida que você mistura os tons, tem a impressão de ver as bordas da espiral se mexerem e entra em um estágio mental de deleite e contemplação.

Ver os visitantes do museu sentados ou deitados por longos minutos observando todo o espectro de cores de Turrell é uma cena que deixa a obra ainda deslumbrante – e não deixa de ser a obra em si. “Meu trabalho não é tanto sobre a minha visão, minha arte é sobre a sua visão“, já disse Turrell. “Não há ninguém entre você e a sua experiência.”

James Turrell

Guggenheim Museu (1071 5th Avenue)

Até 25/9

Mais > http://www.guggenheim.org/new-york/exhibitions/on-view/james-turrell

amor  ·  arte  ·  escreve escreve  ·  especial don't touch  ·  fotografia  ·  nova york

humans of new york

por   /  24/06/2013  /  16:54

Humans of New York é um projeto feito por Brandon Stanton. O fotógrafo criou, em 2010, um site cujo objetivo era fazer um censo fotográfico da cidade.

Com o tempo, ele começou a colecionar frases e histórias dos nova-iorquinos. E o projeto cresceu e ficou ainda mais bonito! ♥

Ele explica:

I thought it would be really cool to create an exhaustive catalogue of the city’s inhabitants, so I set out to photograph 10,000 New Yorkers and plot their photos on a map. I worked for several months with this goal in mind. But somewhere along the way, HONY began to take on a much different character. I started collecting quotes and short stories from the people I met, and began including these snippets alongside the photographs. Taken together, these portraits and captions became the subject of a vibrant blog, which over the past two years has gained a large daily following. With nearly one million collective followers on Facebook and Tumblr, HONY now provides a worldwide audience with glimpses into the lives of strangers in New York City.

Na foto acima, o depoimento: “We went to the same high school, but weren’t really friends. He joined the Navy for ten years, and when he came home, I happened to be working in the same retirement home that his grandmother was in. We met in the lobby. He tried to tell a joke about having been all around the world while I stayed at home, but it backfired and made me cry.”

Mais em > http://www.humansofnewyork.com/

“If you could give one piece of advice to a large group of people, what would it be?”“Be kind and thoughtful.”“What’s your greatest struggle right now?”“Being kind and thoughtful. Because I’ve got some friends that are driving me freaking nuts.”

“I’m a kick boxer and I own a restaurant.”“How do those two things relate?”“They both require maintaining a calm center in the midst of chaos.”

After I took the photo, the man stuck around to give me his contact information. After a couple minutes, his wife started calling impatiently from outside. “I waited 40 years for her,” he said. “She can wait 5 minutes for me.”

“She saved my life.”

“I’m starting a blog for seniors!”

(Obrigada por compartilhar, Mariana Neri!)

amor  ·  arte  ·  fotografia  ·  nova york