Favoritos

curso de skate, eu fiz!

por   /  04/02/2013  /  9:04

No fim do ano passado recebi um convite inusitado: quer fazer um curso de skate? De skate para mulheres? Fiquei com uma interrogação no meio da testa e pensei: nada a ver, né? Sou a mais sedentária, nunca subi num skate, o que é que eu vou fazer num curso desses?

Um pouco depois, pensei: a gente vive querendo experimentar coisas diferentes, então por que não tentar?

Era sábado, o parque Ibirapuera estava lindo e cheio de gente. Andei um pouco e encontrei várias meninas com longboards nas mãos. Me juntei ao grupo da Perestroika, fui conhecendo uma, outra, chegaram os professores, que foram se apresentando e dizendo o que já fizeram na vida. Um deles era o Roger Mancha, que tem mais de 20 anos de atividade e um monte de títulos nas costas.

Tinha perdido a aula teórica, porque tava viajando, e fui direto pra prática. Capacete, cotoveleira, munhequeira e joelheira, aquele look de criança que tá aprendendo e não pode se machucar.

O primeiro desafio era ficar em pé no skate. Vocês ficam aí achando que é a coisa mais fácil do mundo? Né não! Depois de umas tentativas, rolou. Consegui ficar em pé, consegui usar a perna direita pra impulsionar o movimento… Grande conquista!

Depois de uma hora, já consegui andar sozinha! Foi meio inacreditável, não sabia que dava pra aprender tão rápido. Uma das partes mais legais é que os professores ficam do seu lado, com toda a paciência do mundo, e vão te ensinando cada coisinha.

Depois de umas duas horas de tentativa, com o Mancha de apoio, eu já conseguia descer uma parte do parque que é mais inclinada. Ia e voltava com a Giu, a Alemoa, adorando aquela nova atividade na vida.

Já tava achando o máximo quando ele me falou: agora esquece o skate, deixa o seu corpo no comando e olha a vista. Quando eu olhei pra frente, sem me preocupar em cair… Que sensação maravilhosa! Deslizar bem rápido e ver um monte de verde na sua frente, ouvir o barulho das pessoas brincando, passeando, andando em outros skates… Foi ali que o negócio me pegou!

Depois desse dia, ainda rolou mais uma aula, daquela vez com os professores exibindo suas manobras radicais que todas as meninas ficaram babando e sonhando em um dia fazer o mesmo.

E mais depois ainda rolaram vídeos de skate, tentativas de encontro e um monte de mulher empolgada falando do assunto num grupo do Facebook.

Foi legal demais! Saí de casa achando que voltaria com o joelho sangrando, a perna ralada, toda sem jeito, e voltei com a sensação de que a gente tem muitas coisas pra desbravar na vida! E que é sempre bom tirar os olhos do chão e ver a vida passar de frente.

Para saber mais:
http://www.perestroika.com.br/sp/swag/

(Obrigada, Perestroika e Agência Lema, pelo convite!)

Deixe seu comentário