Favoritos

dont touch my mixtape: uma seleção de pai para filho, por guilherme gatis

por   /  07/01/2013  /  17:45

Pra começar o ano com música boa, convidei um amigo desses muito amados para fazer a seleção: Guiherme Gatis, que é jornalista, DJ e, desde julho, pai de Vicente, mais conhecido como Bigüi, o beautiful boy que chegou faz tão pouco tempo e já é tão amado!

Gui fez uma mixtape linda, linda e explicou tudo em detalhes (leiam logo abaixo).

Ouçam! ♥

All is love, da Karen O and the Kids

Bia, a mãe de Bigüi, dança muito bonitinho essa música/adora o filme/a trilha sonora. Não tem como não pensar nos dois dançando juntinhos, ele no sling e ela feliz da vida na sala lá de casa.

Into my arms, do Lemonheads

Essa tem uma relação parecida com a do Yo La Tengo (ver abaixo). Qualidade de vida é saber que, não importa o que aconteça, teremos abraços de segurança para cuidar da gente e nos proteger. Me esforço todos os dias para que os meus braços sejam o lugar seguro do meu filho.

Lin Quer, do Kassin

Apesar de Vicente ser ainda muito novinho, já fico pensando nos atropelos com sofás, fogões e adjacências. Cada vez mais descubro que a paternidade é um misto de viver o presente/sonhar com o futuro. Até livro a gente já tá comprando pra Bigüi, com medo deles esgotarem quando o menino estiver na idade certa pra ler.

Samba de Maria Luiza, de Tom Jobim

“De novo!” “Não fala que grava!”. Pronto. Eternizou a relação pais e filhos na música brasileira.

Porque é proibido pisar na grama, de Jorge Ben

Essa é a minha música predileta de Jorge Ben. Uma reflexão geral sobre a vida, das pequenas coisas às mais importantes. Agora que faço parte de uma família só minha, ela passou a ter ainda mais peso.

Bravura e brilho, de Siba

Bigüi já brinca comigo, do jeito dele. E acorda cedinho; às cinco, já estamos degolando dragões e banindo as naves do céu do nosso jeito. Desse tamanhinho de nada e o moleque já tem bravura e brilho.

Beautiful boy, de John Lennon

Ouvi essa música umas 400 vezes no dia que descobri que o filho que esperava era um menino – Vicente, meu beautiful boy.

Opus 40, do Mercury Rev

Essa música é inspirada em “Golden Slumbers”, dos beatles, que é uma das canções de ninar mais foda de todas. Ela tem uma pegada.

Do you realize?, do Rockabye Baby

Essa é a música mais foda de todos os tempos. Quero passar esse amor pela música dos Lips pro meu filho e, pra isso, boto ele pra ouvir direto. São dois investimentos emotivos que espero que funcionem e sejam perpetuados por Vicente: o amor por essa música e ao vermelho e branco, as cores do Náutico, nosso time de coração.

After the gold rush, de Neil Young

Adoro a voz de Neil Young. Esse disco sempre me acompanha nas viagens que faço para cidades do interior do estado [Pernambuco], por conta do trabalho. É a trilha sonora da volta pra casa, com Neil Young embalando a ansiedade de matar a saudade de Bigüi.

My little corner of the world, do Yo la Tengo

Essa é uma das músicas mais confortáveis que conheço. me transporta direto para meu quarto, meia luz, paz e tranquilidade. É mais ou menos esse o cenário/tranquilidade que tenho, hoje em dia, quando consigo juntar o sono de Bia e de Vicente. Ver os dois dormindo é das coisas mais tranquilas que vivo nos últimos tempos. É o meu pequeno cantinho do mundo.

1 Comentário Deixe seu Comentário

  • monica • 18.01.2013 @ 14:01 responder

    nao posso mais ouvir as mixtapes do don’t tuch…
    aqui na Italia, onde eu moro nao tem o rdio!!
    porque voces nao voltam a publicar como antes?

    beijao

Deixe seu comentário