Favoritos

fail and live

por   /  31/10/2007  /  6:16

ela tinha uns 17 anos e nem sabia o que era amor. mas já tinha ouvido demais sobre ele. em músicas, principalmente. ah, aquele amor que tudo supera, que tudo alcança, por ser únicoverdadeiroautênticoesuficiente. mais queria sentir do que efetivamente tinha borboletas no estômago. e quando, depois de poucos meses veio a rejeição, ela viu que era hora de tirar aqueles discos de nick drake da prateleira, arriscar uns lexotans e chorar nuvens de lágrimas sobre os olhos de ninguém, como uma boa adolescente.

voltando de um passeio, ouviu gal cantar “sua estupideeeez não lhe deixa ver que eu te amooooo”. queria entender aquilo. as amigas até ajudavam, dizendo pra ela lutar por aquele relacionamento, porque o amor valia a pena. ela tentou. queria sentir aquelas tantas coisas que havia aprendido pelas canções. mas aquela música, apesar de tão sincera, não lhe dizia nada.

foi preciso que um ano se passasse e outro e mais outro e mais alguns se completassem para que a estupidez ligada ao amor fizesse sentido. e, finalmente, a música lhe falou tudo o que tinha tentado dizer naquele tempo passado. angustiada, ela só pensava em pegar o telefone e dizer o mais convicto “volta, meu bem”. mas o lirismo necessário estava perdido entre desilusões, decepções e tentativas fracassadas. o que lhe restava agora era o vazio. e aquela bendita música no repeat.

5 Comentários Deixe seu Comentário

  • Amauri Gonzo • 31.10.2007 @ 12:16 responder

    A canção mais cruel do RC.

    chuif…

  • laura • 31.10.2007 @ 13:39 responder

    oun…. (L)
    pois é! viu que ganhei? hahaha! e olha que eu quase fui na festa para sortear os papeizinhos, sorte que eu declinei a proposta senão não ia ganhar! rs.

  • daniarrais • 31.10.2007 @ 17:17 responder

    chuif vezes 13, no mínimo…

    se deu bem demais! =*

  • leal • 1.11.2007 @ 02:49 responder

    afe. fiquei mal.
    tu devia escrever mais.

  • daniarrais • 1.11.2007 @ 16:42 responder

    ôoown =~

Deixe seu comentário