Favoritos

fratura exposta, por ivana arruda leite

por   /  02/07/2010  /  16:35

Gente, e a honra e a felicidade que é ter um texto da maravilhosa escritora Ivana Arruda Leite nesta seção?

A fratura do rabino, por Ivana Arruda Leite

Desde menina sempre tive paixão por fraturas. O menor indício de trincamento numa parede ou onde quer que fosse, era suficiente para distrair-me horas a fio tentando o conserto. Como acredito que a vida segue o rumo que o coração ordena, cedo me decidi pela ortopedia.

Já na residência, nada me dava mais prazer do que chegar ao PS e ver dezenas de braços, pernas, rótulas e clavículas esperando por reparação.

Osso é algo que quebra mas se recompõe. A menos que se engesse errado. Daí fica torto para sempre.

Meus colegas diziam que eu tinha olhos de raio X. Descobria fraturas onde ninguém supunha haver. Aliás, fraturas há de toda espécie e a maneira de repará-las nem sempre é a que aprendemos nos livros.

Por isso quando o jovem rabino chegou logo vi que, por trás da úlcera que ele dizia ser o motivo que o levara ao PS àquela hora da madrugada, havia uma fratura não exposta. Ele não entendeu nada quando encaminhei-o à ortopedia e não à gastro como seria de se esperar.

Eu ainda tentei explicar ao rabininho que as fraturas da alma são as piores, mas ele não quis saber de me ouvir e ao me ver tirando o avental e pulando na cama em cima dele, pôs-se a gritar feito um maluco.

Só me lembro das enfermeiras entrando correndo e me arrancando à força de cima dele.

_________________________________________________________________________________________

* O conto é o primeiro do livro “Histórias da Mulher do Fim do Século”, que será relançado no segundo semestre

A foto é de Jolie Ma

_________________________________________________________________________________________

Fratura Exposta é uma seção colaborativa do Don’t Touch. Então, se você quer escrever sobre as coisas do coração, manda um e-mail pra mim! > dani@donttouchmymoleskine.com

1 Comentário Deixe seu Comentário

  • Yana • 2.07.2010 @ 18:19 responder

    Adorei! ahahahhahahhahhaha
    Essa seção rende toda sorte de sentimento..

Deixe seu comentário