Favoritos

para não dizer adeus

por   /  23/08/2009  /  18:56

bolas

algumas músicas contêm toda a verdade do mundo. “do you realize?”, do flaming lips, é uma delas. é a música que pergunta se você tem noção de que todo mundo ao seu redor vai morrer algum dia. a gente tem, mas nunca está preparado pra lidar com o que deixa de existir _neste plano real, de abraços, olhos nos olhos, conversas e confissões.

toda morte é dolorosa, porque vem cheia de “se”, de “ah…”. quando ela não é natural, você pensa: onde eu estava que não pude impedir? se é trágica, você esbraveja: por que, meu deus, o que essa pessoa fez pra merecer isso? quando é de morte morrida, de velhice, ainda não sei dizer. só sei que é automático pensar em tudo o que a gente não disse, em tudo que poderia ter sido feito, em tudo o que a gente ainda queria fazer na companhia daquela pessoa tão querida.

e é isso que wayne coyne ensina em “do you realize?”. que a gente, em vez de dizer adeus, deve fazer com que todas as pessoas importantes saibam o quanto elas são importantes enquanto elas estão aqui. and instead of saying all of your goodbyes / let them know you realize that life goes fast / it’s hard to make the good things last / you realize the sun doesn’t go down / it’s just and illusion caused by the world spinning round.

falta de tempo é a grande desculpa do século 21. todo mundo tem tempo pra fazer mil coisas ao mesmo tempo, mas nem sempre consegue encontrar um amigo pra tomar um café ou uma cerveja. você deixa pra depois, se justifica, remarca. e um dia, pluft, aquele seu amigo ou aquele parente querido que você deixou de ver no último natal pode não estar mais ali. e você vai viver um longo período pensando em verbos no tempo condicional.

então, meu amigo, evite dizer adeus. e insista em olhar para os olhos de quem você ama, mostrando, falando, abraçando, dizendo de qualquer forma que o seu coração só é seu coração porque tem um pedaço de cada um ali.

* a foto é de joliealtshuler

34 Comentários Deixe seu Comentário

  • Luiza Voll • 23.08.2009 @ 20:17 responder

    Uma alegria ser sua amiga. Love you!

  • vitor. • 23.08.2009 @ 20:45 responder

    é das músicas que mais alegram os meus dias. e foi um ótimo post pra alegrar esse domingo frio.

    parabéns pelo blog. sempre li, nunca comentei.

    abraços.

  • Andrea Regis • 23.08.2009 @ 21:56 responder

    lindo, lindo, lindo =)
    p.s.: precisamos marcar a nossa cerveja nunca tomada!

  • Victor • 23.08.2009 @ 22:11 responder

    Eu gosto quando você escreve seus textos, sempre emocionam ; )

  • ananasmetalliques • 23.08.2009 @ 22:12 responder

    essa é uma das minhas músicas preferidas de todos os tempos. é linda, e toda vez que ouço tenho vontade de ligar pra todo o mundo que conheço e dizer o quanto os amo.

    uma amiga morreu há pouco tempo. foi minha melhor amiga na infância, entrou em grande depressão, afastou todo o mundo, e se suicidou este ano. e esse momento de questionamentos, de “e se…”, de pensar que eu podia ter resistido, ter insistido em ajudar, que poderia ter ajudado e mudado alguma coisa, tudo isso é desesperador.

    let them know you realize.

    Miss Sofia

  • Juliana Montenegro • 24.08.2009 @ 00:42 responder

    Eu te amo e te digo isso todas as noites nos meus sonhos. E tenha certeza absoluta de que você sempre escuta e meio sonolenta responde “eu também amiga, eu também!”

  • Ligelena • 24.08.2009 @ 02:27 responder

    Que coisa linda, Dani :*

  • Júlia Veras • 24.08.2009 @ 10:35 responder

    Engraçado. Ontem fiz uma coisa que nunca tinha feito na vida: andei em uma montanha russa em um parque de diversões. E curiosamente, olhando para tudo aquilo, os brinquedos, as pessoas, fiquei pensando nos meus amigos e no que realmente amo na vida, o que de fato me importa.

    E foi exatamente essa música que passou um domingo inteiro na minha cabeça e na minha boca. Quando abro o meu email hoje, a tua mensagem.

    Tu tava pensando na mesma coisa.

    Tem coisa que não é por acaso não.

    =*

  • fernanda • 24.08.2009 @ 10:56 responder

    to ouvindo sem parar, esperando encontrar o melhor grupo de amigos na terça feira. boa semana, amiga do coração!

  • Cáren • 24.08.2009 @ 11:53 responder

    tenho exercido muito isso dani.
    talvez não tanto com todas as pessoas mas com aquela que está prestes a partir…
    é tudo tão confuso!

    te adoro.

    beijos

  • Sarah • 24.08.2009 @ 14:42 responder

    Seize the day!

  • ritinha • 24.08.2009 @ 15:21 responder

    é impressionante como você escreve.
    e tudo faz sentido.
    queria colocar esse post no meu blog.
    eu posso?
    um beijo, e uma semana linda para vc.

  • camila cruz • 24.08.2009 @ 16:20 responder

    que lindo post !
    penso sempre nisso.
    obrigada por compartilhar !

  • alexandra • 24.08.2009 @ 16:39 responder

    adoro essa música e adoro você! pra ficar nas popices, acho que o “outro lado” dessa música é “what sarah said”, do death cab for cutie. :) :*

  • Mah Bortoluzzi • 24.08.2009 @ 17:24 responder

    do you realize that you have the most beautiful face?
    : )
    <3

    beijo, dani.

  • Du • 24.08.2009 @ 17:45 responder

    .poesia pura.

    .tudo lindo.

    .abraço.

  • Fabio • 24.08.2009 @ 18:23 responder

    Lindo isso.

  • Ana • 24.08.2009 @ 19:53 responder

    Muito lindo mesmo. Flaming Lips é essa coca-cola toda, né?

  • Samuel • 24.08.2009 @ 21:52 responder

    Nossa, que lindo texto. Eu estava ouvindo esse Cover de Do you realize? (http://bit.ly/NeG1) ao mesmo tempo que lia seu texto. Confesso que me considero “forte” e, normalmente, é difícil eu me emocionar facilmente. Agora, lendo o seu texto e ouvindo a essa versão da música, passou vários flashes em minha cabeça de comos as coisas são e como elas acontecem. Juro que senti meus olhos lacrimejarem. Chamei minha mãe pra ler seu belo texto, ela se emocionou também. Obrigado, daniarrais.

  • dgasparetti • 24.08.2009 @ 23:48 responder

    Lindo texto, linda música. E já que esse assunto dá pano pra manga, o tema da trip desse mês é “porque não sabemos lidar com a morte?”. Tem tudo a ver com o que tá no texto.

  • Angela Palma • 25.08.2009 @ 00:17 responder

    amo.
    vc sabe, mas é sempre bom lembrar.

  • Manu Drumond • 25.08.2009 @ 00:37 responder

    E acredite que nós ainda vamos nos queixar disso. Vamos deixar tantas pessoas passarem por nós, sem que a gente diga o que sente de verdade. Talvez um mal do século, talvez um mal de nós mesmos. A gente aprende e nunca aprende de verdade, como poder ser! Vale a dica, quem sabe de tanto insistir façamos meeeesmo o que queremos e devemos. Muito bacana, meeeeeesmo, o texto, leva a uma reflexão e tanto! Qta sensibilidade!

  • paula reis • 25.08.2009 @ 02:11 responder

    muito bom ter vc por perto, querida e linda amiga. sensibilidade assim me faz pensar, cada vez mais, como é importante o cuidado com os queridos. <3

  • Natália. • 25.08.2009 @ 02:27 responder

    post ótimo, dani :)
    não tem mesmo como não parar pra pensar nisso tudo com ‘do you realize?’, mas gostei da moça ali que falou que o outro lado é ‘what sarah said’.

  • Fernando Niero • 19.09.2009 @ 19:46 responder

    Comentario tardio, mas sincero: nao lia coisa linda assim ha tempos. Beijos

Deixe seu comentário