Favoritos

Somos tragicamente inseguros e carentes

por   /  11/02/2014  /  10:10

Gosto muito das colunas do Contardo Calligaris na Folha. A penúltima do ano passado foi especialmente boa > http://www1.folha.uol.com.br/colunas/contardocalligaris/2013/12/1387352-feliz-natal-2013.shtml

1) Gostaria que, ao menos por um tempo (que você escolhe –entre uma semana e um ano, ok?), ninguém possa mais lamentar o fato de que estaríamos todos apaixonados por nós mesmos.

Desculpe, Papai Noel, mas não aguento mais ler e ouvir críticos culturais improvisados (ou não) castigando nosso “narcisismo”. Você dirá: mas não é verdade que somos narcisistas? Claro que é verdade, mas acontece que você é um homem culto, até porque faz séculos que passa o ano lendo ao lado da lareira, lá no polo Norte, enquanto seus gnomos fabricam os brinquedos.

Você, desde os anos 60, estudou Kernberg, Kohut e Christopher Lasch, e sabe que “narcisista” pouco tem a ver com a história de Narciso apaixonado por sua imagem: somos narcisistas no sentido clínico, ou seja, somos tragicamente inseguros e carentes, eternamente dependentes da apreciação dos outros.

Vivemos contando os “curtiu” nos nossos posts no Instagram. Longe de pensar só em nós, agimos em função das reações que gostaríamos de provocar nos outros; seduzimos, provocamos, mas raramente seguimos uma necessidade que seja realmente nossa.

Não adianta: aqui o pessoal fala que somos narcisistas porque morremos de amor por nós mesmos.

______________________________________________________________________

A foto é da Olivia Crawford.

amor  ·  auto-ajuda  ·  fotografia  ·  internet  ·  jornalismo

1 Comentário Deixe seu Comentário

  • Marcos • 17.02.2014 @ 17:26 responder

    Ah, o Contardo! Sempre adorei seus textos na Folha. Amava ainda mais esse jornal quando também havia a coluna do Scliar. Oh, gente boa!

Deixe seu comentário