Favoritos

Posts da tag "bomconselho"

o preço a pagar

por   /  31/01/2010  /  12:58

Estamos cansados de saber que é preciso comer com moderação, beber com moderação, ser sensata ao passar por uma vitrine, não tomar sol demais, não beber demais, não ler demais, para não cansar a vista, não rir demais -muito riso, pouco siso-, não amar demais para não cair do cavalo, não acreditar demais no ser humano para não se decepcionar, mas também não ser totalmente descrente, pois sem acreditar, a vida não tem sentido. Por sensatez, compreenda-se: o mundo quer que se viva de maneira média -e quando se fala em mundo, fala-se dos pais, dos irmãos mais velhos, das leis, das pessoas com juízo; crianças médias não ameaçam a estabilidade da família, esposas com desejos médios não põem em risco o casamento, cidadãos médios são mais fáceis de ser governados. Mas é possível ser sensata e feliz? É possível ficar na praia olhando o relógio para ver se já são 10h, já que a partir daí não se pode mais tomar sol?
Não, não é; viver medindo tudo, para não ser nem de menos nem de mais, ser equilibrada o tempo todo, a vida inteira, não dá. Às vezes é preciso ser radical, em qualquer dos sentidos, e escolher: ou come tudo que tiver vontade ou passa fome; ou bebe tudo que tiver vontade ou toma água. Água, essa coisa tão sem graça, não só pode, como deve.

danuza leão, sempre maravilhosa. leiam o texto completo na folha: o preço a pagar

tudo apagado na moda

por   /  26/01/2010  /  16:22

Eu quero chegar a outro ponto. O que quer dizer apagar as unhas, a boca e a sobrancelha?

Eu arrisco um palpite. Para mim, a moda quer apagar o que é de bicho no homem. Se cagamos, mijamos, suamos e temos pelos, coisas grotescas que nos lembram o tempo todo que somos animais, isso não interessa à moda. Então que seja escondido. Que pelos, banhas, cascas, cacas e mucosas sejam todos apagados da nossa cara e do nosso corpo.

trecho do texto maravilhoso da helô lupinacci sobre essa tendência bizarra de sair apagando tudo: primeiro as roupas, depois as unhas, agora as sobrancelhas…

leiam o texto completo: Sem pelos, nem cascas, nem banhas, nem mucosas

analyze this  ·  arte

bambino

por   /  26/01/2010  /  15:35

tu peux fumer comme un monsieur des cigarettes
te déhancher sur le trottoir quand tu la guettes
tu peux pencher sur ton oreille, ta casquette
ce n’est pas ça, qui dans son coeur, te vieillira
l’amour et la jalousie ne sont pas des jeux d’enfant
et tu as toute la vie pour souffrir comme les grands

adoro que o youtube entende meu gosto musical e indica as músicas mais díspares do mundo a cada dia. a surpresa de hoje foi a cantora dalida cantando “bambino”. dalida, me diz a wikipédia, é uma cantora egípcia de origem italiana que fez carreira na frança _isso é o que chamamos de globalização, hein! =)

amor  ·  analyze this  ·  música

lista de afazeres

por   /  23/01/2010  /  0:43

eu sempre gostei de comprar agendas e de acreditar que iria usá-las até o fim do ano. nunca deu certo, mas fiz uma linda coleção. agora uso meu moleskine como agenda e faço, toda semana, uma listinha com o que eu tenho que fazer. é super eficiente!

a anna liesemeyer fez essa listinha linda, que tira um pouco da obrigação de fazer absolutamente tudo em um único dia e deixa espaço para as coisas irem acontecendo ao longo da semana.

e sabe o que é mais legal? ela disponiliza duas versões da lista pra download!

apreciem: free printable to-do list

silêncio

por   /  19/01/2010  /  23:44

Não era desconfiança nem falta de companheirismo nem vontade de esconder. Era simplesmente instalar-se na convicção ou na superstição de que não existe o que não se diz. E é verdade que somente o que não se diz nem se exprime é o que nunca traduzimos.

Javier Marías, em “Coração tão branco”

amor  ·  analyze this