Favoritos

Minha Carta de Amor

por   /  06/06/2014  /  13:13

Cartas de amor são ridículas. E indispensáveis. Nos ajudam a nos reconhecer, a sabermos quem fomos, o que sentimos, como queremos ser daqui pra frente.

E se você pudesse escrever uma carta de amor sem destinatário certo? Uma carta contando o que de mais forte e importante você aprendeu depois de amar uma, duas, dez vezes?

Minha Carta de Amor é um convite para que vocês escrevam o que aprenderam com o amor até hoje.

Queremos ouvir histórias, queremos nos ver na escrita de outras pessoas, na sensações que elas tiveram e que nos parecem tão familiares. Queremos que o sentimento de um reverbere no outro. Ou que, simplesmente, cada narrativa seja acompanhada com entusiasmo, como se fosse um livro que a gente não consegue largar ou um filme para o qual desejamos uma continuação.

Usem a hashtag #minhacartadeamor ou enviem suas cartas para minhacartadeamor2014@gmail.com.

Aos poucos, vamos escolher as cartas, que terão trechos caligrafados pelo Fabio Maca. O resultado vamos postar no perfil @minhacartadeamor no Instagram.

Vamos começar? ♡

Sigam a gente no Instagram > http://instagram.com/minhacartadeamor

Concepção: Daniela Arrais e Fabio Maca | Caligrafia: Fabio Maca | Textos: Daniela Arrais | Fotos: Pedrinho Fonseca

#OcupeEstelita

por   /  03/06/2014  /  15:15

Recife ferve – e nos dá a esperança de que tudo pode mudar, desde que gente muito articulada se junte para protestar, reclamar, mostrar alternativas e ocupar a cidade. Reuni alguns links pra gente ficar por dentro. Acrescentem sugestões nos comentários!

- Pra começar, uma bela foto de Eric Gomes e um vídeo do Trem do Forró no #OcupeEstelita > https://www.youtube.com/watch?v=KJdzvac7Y8k&feature=youtu.be

- Pra acompanhar todo dia:

Direitos Urbanos > https://www.facebook.com/groups/direitosurbanos/

#ResisteEstelita > https://www.facebook.com/pages/Resiste-Estelita/656041921137604?ref=stream

- Uma foto linda de Leonardo Cisneiros.

- Carta ao prefeito do Recife, Geraldo Júlio. Assinem! > http://www.change.org/pt-BR/peti%C3%A7%C3%B5es/carta-ao-prefeito-do-recife-geraldo-j%C3%BAlio

- Na Carta Capital: O que a imprensa do Recife não conta sobre o Estelita, por Mariana Moreira e Mariana Martins > http://www.cartacapital.com.br/blogs/intervozes/cronica-de-uma-morte-anunciada-a-cobertura-do-ocupeestelita-em-pe-3964.html

- No blog do Alex Antunes: Smells Like Mangue Bitch > https://br.noticias.yahoo.com/blogs/alex-antunes/smells-mangue-bitch-233815698.html

- No blog Brasil, da Folha: Entenda a “guerra” que agita o Recife às vésperas da Copa do Mundo > http://brasil.blogfolha.uol.com.br/2014/05/30/entenda-a-guerra-que-agita-o-recife-as-vesperas-da-copa-do-mundo/

- Na Vice: O Recife colocou seus últimos espaços públicos à venda e parte da população local não está gostando nada disso. > http://www.vice.com/pt_br/read/o-recife-colocou-a-venda-seus-ultimos-espacos-publicos-e-parte-da-populacao-local-nao-esta-gostando-nada-disso

- Na Folha: Terras públicas para quem?, por Raquel Rolnik. “O movimento “Ocupe Estelita” contesta a legalidade do leilão e denuncia a ausência de estudos de impacto, entre outros pontos. Mas, principalmente, reivindica espaços públicos de diálogo que permitam a negociação de propostas alternativas, já que se trata de intervenção em local estratégico da cidade. O que acontece no Recife é apenas um exemplo da longa história do ocaso das terras públicas no Brasil. A decisão sobre o que fazer nesses terrenos, por que, como e pra quem é fundamental para nossas cidades e merece debate público amplo, aberto e transparente.” > http://www1.folha.uol.com.br/colunas/raquelrolnik/2014/06/1463510-terras-publicas-para-quem.shtml

- PCR suspende alvará de demolição dos armazéns do Cais José Estelita > http://www2.recife.pe.gov.br/pcr-suspende-alvara-de-demolicao-dos-armazens-do-cais-jose-estelita/

- A imprensa classe média, por Érico Andrade. “Para a imprensa é preciso dizer que queremos mais do que a suspensão do Novo Recife sem deixar de dizer, contudo, que já somos vitoriosos porque a especulação imobiliária e o desrespeito ao planejamento urbano, bem como o desrespeito às leis que regem a cidade começam a ser combatidas. As armas dos Direitos Urbanos são, sabemos: as leis, a consistência dos argumentos sólidos e técnicos e, principalmente, a participação de milhares de pessoas que se encarregam de publicizar o direito ao contraditório que a imprensa se nega a mostrar.” > http://direitosurbanos.wordpress.com/2014/06/03/a-imprensa-classe-media/

- No Estadão: Projeto imobiliário de R$ 800 milhões se torna alvo de guerra jurídica no Recife > http://m.estadao.com.br/noticias/brasil,projeto-imobiliario-de-r-800-milhoes-se-torna-alvo-de-guerra-juridica-no-recife,1174016,0.htm

- Uma foto de H.d. Mabuse.

- Pequeno guia para entender as críticas e propostas do #OcupeEstelita > https://midiacapoeira.wordpress.com/pequeno-guia-para-entender-as-criticas-e-propostas-do-ocupeestelita/

- Um texto de João Vale:

Hoje a cidade foi Refundada.
Como disse Jampa, temos um novo Marco Zero.
Não mais o marco zero do português colonizador.
Mas dos cidadãxs exercendo seus direitos.

10.000 pessoas em fluxo
abençoam esse nascimento.

Acabou-se, Consórcio Novo Recife.
A partir de amanhã nós
vamos debater mesmo
não mais a reintegração de Posse
mas a RETIRADA de vocês 
das decisões sobre a cidade.

EVOÉ, UM RECIFE NOVO SURGIU
Obrigado Moura Dubeux, Queiroz Galvão e construtoras!
Vocês ajudaram a cidade a se RE-CONHECER!

A HISTÓRIA SE ABRIU NOVAMENTE
A UTOPIA ESTÁ BRINCANDO DE NOVO

- O projeto Novo Recife é ilegal? Liana Cirne Lins responde.

- O #OcupeEstelita defende que o cais fique abandonado? Ana Paula Portella responde.

- O projeto Novo Recife vai garantir o acesso da população ao interior do Cais José Estelita? Cristina Lino Gouvêa responde.

- O “Novo” Recife é um projeto que integra a cidade? Mateus Alves responde.

- Esclarecimentos sobre o projeto Novo Recife, por Belize Câmara > http://direitosurbanos.wordpress.com/2012/12/29/esclarecimentos-sobre-o-projeto-novo-recife-por-belize-camara/

- Qual o problema da verticalização?, por Leonardo Cisneiros > http://direitosurbanos.wordpress.com/2014/03/23/qual-o-problema-da-verticalizacao/

- Sobre o Novo Recife e o modo de “fazer de otário” toda uma cidade, por Renato Feitosa > http://ombudspe.org.br/artigos/sobre-o-novo-recife-e-o-modo-de-fazer-de-otario-toda-uma-cidade/

- Foto tirada do Direitos Urbanos > https://www.facebook.com/photo.php?fbid=769734759713293&set=gm.604673339630249&type=1

- Nossos filhos merecem uma cidade que respeite a sua história. Negocia, prefeito! > http://vimeo.com/96808315

- Contra-editorial ao Jornal do Commercio, por Edilson Silva > https://www.facebook.com/groups/direitosurbanos/permalink/604056536358596/

- Uma fala de Cristiano Ramos: “Para além de ocupação, reintegração e destinação, o Estelita será sempre um desses momentos mágicos – igualmente encantadores e terríveis – que nos servem como fenda da fechadura, janela a revelar afetos insuspeitos e demonstrar que algumas estupidezes eram ainda maiores do que imaginávamos. Depois dele (ou melhor seria dizer “com ele”, já que não nos deixará?), teremos vontade quase irrefreável de alguns abraços, mas também precisaremos trocar de calçada muitas vezes, por saber que alguns diálogos (que ainda tentávamos) são praticamente impossíveis, além de extremamente perigosos. Estelita, candeia de tanta ternura; Estelita, seta que não nos deixará esquecer as possibilidades da ignorância e da truculência – horrendamente travestidas de informação e modernidade.”

- O sucesso do #OcupeEstelita e nossos vinte centavos, por Ivan Moraes Filho: “E estando lá, junto, cada um pôde dar sua contribuição, da maneira que achou conveniente. Não é pouca coisa ver tanta gente feliz num mesmo lugar com pouquíssima estrutura e nenhuma produção profissional. Num evento sem seguranças contratados, sem polícia e sem nenhum incidente que pudesse ser considerado como ponto negativo. Uma coisa linda de se ver é a capacidade que ainda temos de aprender e de conviver uns com os outros. O bloqueio da mídia foi vencido. A má vontade do poder público começa a ser superada diante da repercussão nacional e internacional do que acontece no Recife. Não há como ficar mais claro do que está: sobre o Cais, o que se quer é que toda a sociedade possa participar do debate sobre o que será construído na área através de um processo transparente e democrático.” > http://www.bodega.blog.br/anacronicas/o-cais-jose-estelita-sao-nossos-vinte-centavos/

- No Le Monde Diplomatique: A cidade que luta para não se tornar invisível. “Há alguns anos, Recife passa por um processo agressivo de transformação urbana. Nos acostumamos com o surgimento de um novo espigão em cada esquina: bairros formados tradicionalmente por casas mudam de maneira drástica com a demolição destas para a construção de prédios compridos. Comunidades inteiras são desalojadas sem o mínimo planejamento social. O que antes era uma rua de quintais, terraços e jardins, hoje é uma paisagem inóspita de muros altos, fachadas espelhadas e muitas vagas na garagem. Com a conivência do poder público, multiplicam-se os projetos imobiliários que visam apenas a geração de lucros e ignoram a dimensão humana. Assistimos à transformação do Recife amarelado de Renato Carneiro Campos, do Recife de cadeiras na calçada de Manuel Bandeira, do Recife cheio de gente de Alcir Lacerda, numa metrópole em que progresso contradiz identidade. Vemos a reprodução de um modelo de desenvolvimento urbano que espelha o fracassado sucesso de grandes cidades feitaspara poucos, como Dubai ou Miami: as grandes construtoras dominam o nosso solo, capitalizando a paisagem e segregando a urbe.” > http://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id=3068

- Lia de Itamaracá no #OcupeEstelita. Emocionante!

ativismo  ·  internet  ·  jornalismo  ·  social  ·  vida

Séculos Apaixonados

por   /  21/05/2014  /  9:09

Vira e mexe ouço alguma coisa eletrônica muito legal vinda do Rio de Janeiro. Tem aquela malemolência, um humor, uma batida gostosa que faz você clicar no Soundcloud e passar a tarde inteira ouvindo as mesmas duas músicas em looping.

Foi assim com Séculos Apaixonados, uma banda formada por Gabriel Guerra, Lucas Paiva (do Opalahttp://donttouchmymoleskine.com/entrevista-opala-maria-luiza-jobim/), Felipe Vellozo, Arthur Braganti e João Pessanha, que já passaram ou estão em bandas como Dorgas, Mahmundi, Letuce, Baleia, Epicentro do Bloquinho (aliás, que nome!).

Eles usam a tag #motel pra descrever as músicas “Um Totem do Amor Impossível” e “Só no Masoquismo”. E vai bem por aí mesmo, viu? Uma delícia!

Mais em > https://www.facebook.com/seculosapaixonados

(Via Maria Clara Drummond, que já apareceu por aqui > http://donttouchmymoleskine.com/a-festa-e-minha-e-eu-choro-se-eu-quiser/)

amor  ·  fotografia  ·  música

2 clipes pra hoje: Metronomy e Lee Ranaldo

por   /  20/05/2014  /  16:16

Um do Metronomy, que eu continuo ouvindo todos os dias. Depois do clipe de “Love Letters”, dirigido pelo Michel Gondry, e o de “I’m Aquarius”, chega a vez de “Reservoir”.

E outro do Lee Ranaldo, pra gente ficar com saudade do Velvet Underground.

“A movie of a song in a dream of a movie.” Directed by Fred Riedel, the basic concept plays off particular images of the Velvet Underground as filmed by Andy Warhol in the late 60s, casually rehearsing at the Factory, performing (as The Exploding Plastic Inevitable) on St Marks Place with projections and dancers, and even Warhol’s famous ‘Screen Tests’. The character of “The Projectionist” is played by legendary NYC avant-garde filmmaker Ken Jacobs (with whom both myself and Fred studied back in the 70s). Among the dancers can be spotted former SY drummer Bob Bert. Longtime SY associate, director David Markey, is among those behind the camera on this piece. Shot at Sonic Youth studio Echo Canyon West as well as at live gigs in New York City and Los Angeles.

amor  ·  arte  ·  música  ·  vídeo